InícioCuriosidades10 benefícios do casamento para a saúde

10 benefícios do casamento para a saúde

Publicidade

Pressão arterial mais baixa, menos resfriados, melhor gerenciamento do estresse são apenas o começo

“Eu preciso de alguém para amar”, cantavam os Beatles, e eles acertaram. Amor e saúde estão interligados de maneiras surpreendentes.

Os humanos são programados para se conectar e, quando cultivamos bons relacionamentos, as recompensas são imensas. Mas não estamos necessariamente falando sobre romance arrepiante.

Continue a ler após a publicidade.

“Não há evidências de que o estágio intenso e apaixonado de um novo romance seja benéfico para a saúde”, diz Harry Reis, PhD, co-editor da Encyclopedia of Human Relationships.

“As pessoas que se apaixonam dizem que é maravilhoso e agonizante ao mesmo tempo.” Todos esses altos e baixos podem ser uma fonte de estresse.

É preciso uma forma de amor mais calma e estável para produzir benefícios claros para a saúde.

“Há evidências muito boas de que as pessoas que participam de relacionamentos satisfatórios e de longo prazo se saem melhor em uma variedade de medidas de saúde”, disse Reis ao WebMD.

A maior parte da pesquisa nessa área centra-se no casamento, mas Reis acredita que muitas das vantagens se estendem a outros relacionamentos próximos – por exemplo, com um parceiro, pai ou amigo.

O segredo é “sentir-se conectado a outras pessoas, ser respeitado e valorizado por outras pessoas e ter um sentimento de pertencimento”, diz ele.

Aqui estão 10 maneiras apoiadas por pesquisas que o amor e a saúde estão ligados:

1) Menos consultas médicas

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos revisou uma abundância de estudos sobre casamento e saúde.

Uma das descobertas mais impressionantes do relatório é que as pessoas casadas têm menos consultas médicas e uma média de permanência hospitalar mais curta.

“Ninguém sabe ao certo por que os relacionamentos amorosos são bons para a saúde”, diz Reis.

“A melhor lógica para isso é que os seres humanos foram criados pela evolução para viver em grupos sociais intimamente ligados. Quando isso não está acontecendo, os sistemas biológicos… ficam sobrecarregados. ”

Recomendamos:  5 signos mais genuínos e autênticos, os que não usam máscaras

Outra teoria é que as pessoas com bons relacionamentos cuidam melhor de si mesmas. Um cônjuge pode mantê-lo honesto em sua higiene bucal.

Um melhor amigo pode motivá-lo a comer mais grãos inteiros. Com o tempo, esses bons hábitos se traduzem em menos doenças.

2) Menos depressão e abuso de substâncias

De acordo com o relatório Health and Human Services, casar e permanecer casado reduz a depressão em homens e mulheres.

Essa descoberta não é surpreendente, diz Reis, porque o isolamento social está claramente relacionado a taxas mais altas de depressão.

O que é interessante é que o casamento também contribui para o declínio do consumo excessivo de álcool e do consumo de drogas, especialmente entre os jovens adultos.

3) Abaixe a pressão arterial

Um casamento feliz é bom para a pressão arterial. Essa é a conclusão de um estudo nos Annals of Behavioral Medicine.

Os pesquisadores descobriram que pessoas casadas e felizes têm a melhor pressão arterial, seguidas por solteiros. Os participantes infelizes casados ​​tiveram o pior resultado.

Reis diz que este estudo ilustra um aspecto vital de como o casamento afeta a saúde. “É a qualidade conjugal e não o fato do casamento que faz a diferença”, diz ele ao WebMD.

Isso apóia a ideia de que outros relacionamentos positivos podem ter benefícios semelhantes. Na verdade, os solteiros com uma forte rede social também se saíram bem no estudo da pressão arterial, embora não tão bem quanto as pessoas casadas e felizes.

4) Menos ansiedade

Quando se trata de ansiedade, um relacionamento amoroso e estável é superior a um novo romance.

Pesquisadores da Universidade Estadual de Nova York em Stony Brook usaram ressonâncias magnéticas funcionais (fMRI) para observar os cérebros de pessoas apaixonadas.

Eles compararam novos casais apaixonados com casais de longa data fortemente conectados. Ambos os grupos mostraram ativação em uma parte do cérebro associada ao amor intenso.

Continue a ler após a publicidade.

“É a área de recompensa de dopamina, a mesma área que responde à cocaína ou que ganha muito dinheiro”, diz Arthur Aron, PhD, um dos autores do estudo. Mas havia diferenças marcantes entre os dois grupos em outras partes do cérebro.

Recomendamos:  Mulher adota bebê abandonado há 25 anos, quando cresceu a menina agradeceu-lhe de forma incrível

Em relacionamentos de longo prazo, “você também tem ativação nas áreas associadas ao vínculo… e menos ativação na área que produz ansiedade.” O estudo foi apresentado na conferência de 2008 da Society for Neuroscience.

5) Controle natural da dor

O estudo de fMRI revela outra grande vantagem para casais de longa data – mais ativação na parte do cérebro que mantém a dor sob controle. Um relatório do CDC complementa essa descoberta.

Em um estudo com mais de 127.000 adultos, as pessoas casadas tinham menos probabilidade de se queixar de dores de cabeça e nas costas.

Um pequeno estudo publicado na Psychological Science aumenta a intriga. Os pesquisadores submeteram 16 mulheres casadas à ameaça de um choque elétrico.

Quando as mulheres estavam segurando a mão do marido, elas mostraram menos resposta nas áreas do cérebro associadas ao estresse. Quanto mais feliz o casamento, maior o efeito.

6) Melhor gerenciamento de estresse

Se o amor ajuda as pessoas a lidar com a dor, o que dizer de outros tipos de estresse? Aron afirma que há evidências de uma ligação entre o apoio social e o controle do estresse.

“Se você está enfrentando um estressor e tem o apoio de alguém que o ama, você pode lidar melhor com isso”, diz ele ao WebMD.

Se você perder o emprego, por exemplo, ajuda emocionalmente e financeiramente se um parceiro está lá para apoiá-lo.

7) Menos resfriados

Vimos que os relacionamentos amorosos podem reduzir o estresse, a ansiedade e a depressão – um fato que pode dar um impulso ao sistema imunológico.

Pesquisadores da Carnegie Mellon University descobriram que as pessoas que exibem emoções positivas têm menos probabilidade de adoecer após a exposição ao vírus do resfriado ou da gripe.

O estudo, publicado na Psychosomatic Medicine, comparou pessoas que estavam felizes e calmas com aquelas que pareciam ansiosas, hostis ou deprimidas.

Recomendamos:  Para ser realmente feliz é importante trocar de parceiro a cada 5 anos, aponta pesquisa

8) Cura mais rápida

O poder de um relacionamento positivo pode fazer com que as feridas na carne cicatrizem mais rapidamente.

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Estadual de Ohio fizeram feridas com bolhas em casais.

As feridas cicatrizaram quase duas vezes mais rápido em cônjuges que interagiam calorosamente em comparação com aqueles que demonstraram muita hostilidade uns com os outros. O estudo foi publicado na revista Archives of General Psychiatry.

9) Vida mais longa

Um crescente número de pesquisas indica que as pessoas casadas vivem mais. Um dos maiores estudos examina o efeito do casamento sobre a mortalidade durante um período de oito anos na década de 1990.

Usando dados da National Health Interview Survey, os pesquisadores descobriram que pessoas que nunca se casaram tinham 58% mais probabilidade de morrer do que pessoas casadas.

Aron diz que o casamento WebMD contribui para uma vida mais longa principalmente por meio de “apoio prático mútuo, benefícios financeiros e filhos que fornecem suporte”.

Mas Reis vê uma explicação emocional. O casamento protege contra a morte, afastando os sentimentos de isolamento.

“A solidão está associada a todas as causas de mortalidade – morrer sem qualquer motivo”, diz ele. Em outras palavras, as pessoas casadas vivem mais porque se sentem amadas e conectadas.

10) Vida mais feliz

Pode parecer óbvio que um dos maiores benefícios do amor é a alegria. Mas a pesquisa está apenas começando a revelar o quão forte essa ligação pode ser.

Um estudo no Journal of Family Psychology mostra que a felicidade depende mais da qualidade das relações familiares do que do nível de renda.

E, portanto, temos evidências científicas de que, pelo menos em alguns aspectos, o poder do amor supera o poder do dinheiro.

Foto de Becca Tapert no Unsplash

Publicidade

Descubra outras matérias interessantes aqui. Via: WebMD

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais vistos