InícioComportamento6 razões pelas quais tomamos más decisões e o que fazer

6 razões pelas quais tomamos más decisões e o que fazer

Publicidade

A pesquisa mostrou que a pessoa típica toma cerca de 2.000 decisões a cada hora em que está acordada e que a maioria das decisões são pequenas e nós as tomamos instintiva ou automaticamente – o que vestir para trabalhar pela manhã, se almoçar agora ou em dez minutos, etc.

Mas muitas das decisões que tomamos ao longo do dia levam muito em consideração e são sérias consequências, portanto, tomar boas decisões de forma consistente é, sem dúvida, o hábito mais importante que podemos desenvolver, especialmente no trabalho.

Nossas escolhas afetam nossa saúde, nossa segurança, nossos relacionamentos, como gastamos nosso tempo e nosso bem-estar geral.

Continue a ler após a publicidade.

Com base em minhas experiências como oficial do Exército e da pesquisa Lidere-se Primeiro, descobri que as seguintes mentalidades são prejudiciais para uma boa tomada de decisão.

Quando você tiver que tomar uma decisão importante, fique atento a:

1) Fadiga de decisão

Mesmo as pessoas mais enérgicas não têm energia mental infinita, pois nossa capacidade de realizar tarefas mentais e tomar decisões se esgota quando é exercida repetidamente, e um dos estudos mais famosos sobre o assunto mostrou que os presos têm mais probabilidade de obter a liberdade condicional aprovada pela manhã do que quando seus casos são ouvidos à tarde.

Com tantas decisões a serem tomadas, especialmente aquelas que têm um grande impacto sobre outras pessoas, é inevitável sentir fadiga de decisão.

Recomendamos que, para contra-atacar, identifique as decisões mais importantes que você precisa tomar e, sempre que possível, priorize seu tempo para tomá-las quando seus níveis de energia estiverem mais altos.

Recomendamos:  A maioria das pessoas não conseguem encontrar o erro nesse simples teste

2) Um estado estacionário de distração

O tsunami de tecnologia da última década inaugurou uma era de conveniência sem precedentes, mas também criou um ambiente onde a informação e a comunicação nunca cessam.

Os pesquisadores estimam que nossos cérebros processam cinco vezes mais informações hoje do que em 1986, consequentemente, muitos de nós vivemos em um estado contínuo de distração e lutamos para nos concentrar.

Para combater isso, encontre um tempo todos os dias para se desconectar e se afastar do e-mail, da mídia social, das notícias e do ataque violento da Era da Informação, sabemos que é mais fácil falar do que fazer, mas isso é viável se você fizer disso uma prioridade.

3) Falta de informação

A Escola Kellogg descobriu recentemente que, em uma reunião típica, uma média de três pessoas falam 70% do tempo. Como a autora Susan Cain articula tão bem em seu livro Quiet, muitos introvertidos relutam em falar em uma reunião até que saibam exatamente o que querem dizer.

No entanto, esses membros de nossas equipes costumam ter algumas das melhores ideias para contribuir, já que passam muito tempo pensando e absorvendo informação.

Para contrariar essa tendência, envie uma agenda de reunião com 24 horas de antecedência para dar a todinho, tempo para pensar sobre suas contribuições e trabalhar para definir uma cultura de reunião que permita que as pessoas contribuam com suas ideias após o término da reunião.

4) Multitarefa

Não há muitos empregos restantes no mundo hoje que não requeiram pelo menos algumas tarefas múltiplas, embora essa seja a realidade, a pesquisa mostra claramente que o desempenho, incluindo a eficácia na tomada de decisões, sofre em até 40% quando nos concentramos em duas tarefas cognitivas ao mesmo tempo.

Quando você precisar tomar decisões importantes, reserve e se comprometa com vários blocos de tempo durante o dia para se concentrar profundamente na tarefa em mãos.

5) Emoções

Experimentar frustração, excitação, raiva, alegria, etc., é uma parte fundamental da experiência humana diária.

E embora essas emoções tenham um papel significativo em nossas vidas, você provavelmente não precisa ver a pesquisa para saber que nossas emoções, especialmente durante os momentos de pico de raiva e felicidade, podem prejudicar nossa capacidade de tomar boas decisões.

Decidir falar ou enviar um e-mail enquanto estiver com raiva muitas vezes complica uma situação difícil, porque as palavras não saem certas. Para contrariar isso, preste atenção ao seu estado emocional e concentre-se na força de caráter do autocontrole.

Resista à tentação de responder às pessoas ou tomar decisões enquanto você está emocionalmente tenso. Pratique afastar-se do computador ou desligar o telefone e volte à tarefa em mãos quando for capaz de pensar com mais clareza e calma.

6) Paralisia de análise

Embora a Era da Informação tenha nos presenteado com uma abundância de informações, big data e métricas, também não há fim para a quantidade de informações que podemos acessar.

Recomendamos:  9 coisas que não se deve dizer a uma grávida no dia das mães

E sabemos que quanto mais informações temos que considerar, mais tempo normalmente levamos para tomar uma decisão e embora o processo de tomada de decisão deva ser minucioso, a melhor maneira de tomar boas decisões geralmente é não levar mais tempo ou olhar para mais informações.

Em vez disso, analise só as informações pertinentes de que você precisa, estabeleça um prazo para tomar uma decisão e, em seguida, cumpra-o.

As decisões que tomamos determinam nossa realidade

Elas afetam diretamente como gastamos nosso tempo e quais informações processamos (ou ignoramos).

Nossas decisões moldam nossos relacionamentos – e cada vez mais no mundo hiperconectado de hoje, as decisões contribuem para o nosso nível de energia e quão eficientes somos nos vários aspectos de nossas vidas.

Inevitavelmente, todos nós tomamos algumas decisões erradas todos os dias, mas se estivermos cientes desses seis inimigos da boa tomada de decisões e tomarmos medidas para superá-los, poderemos tomar decisões melhores, que têm um impacto positivo nas pessoas com quem trabalhamos e lideramos.

Publicidade

Se esse artigo foi útil para si, entre aqui e descubra mais informações e dicas valiosas. via: havardbusinessreview

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais vistos