InícioCuriosidades8 mitos sobre o sono que acabam com a sua saúde

8 mitos sobre o sono que acabam com a sua saúde

Publicidade

Os humanos passam cerca de um terço de suas vidas dormindo. Apesar disso, o sono ainda permanece um mistério.

No entanto, sabemos que o sono está profundamente ligado ao nosso bem-estar, humor e saúde.

Uma noite de sono ruim significa mais do que ficar mal-humorado pela manhã. No curto prazo, pode significar mau desempenho no trabalho ou na escola. Mas a privação crônica do sono pode levar a sérios problemas de saúde, incluindo o aumento do risco de ataque cardíaco e mortalidade precoce.

Os cientistas do sono dizem que mais precisa ser feito para educar o público sobre comportamentos saudáveis de sono — e dissipar os rumores sobre os que não são saudáveis.

Um novo estudo publicado na revista Sleep Health está fazendo exatamente isso ao abordar os mitos do sono generalizados e desmascará-los.

Em seu estudo, os pesquisadores reuniram uma lista exaustiva de conceitos errôneos sobre o sono e os reduziram a 20.

Os mitos foram classificados de acordo com duas características diferentes: quão falsos eles eram e seu impacto potencial na saúde pública.

Esses são os oito mitos do sono mais prejudiciais dessa lista.

1) Muitos adultos precisam de apenas cinco horas ou menos de sono para a saúde geral

Os pesquisadores avaliaram esse mito como o de maior dano potencial à saúde pública.

A privação de sono habitual está associada a diversos efeitos de saúde de longo alcance e nenhum deles é bom.

A privação de sono afetará seu coração (aumentando o risco de hipertensão e ataque cardíaco) e sua mente (diminuindo o funcionamento cognitivo e aumentando o risco de depressão). O risco de diabetes e obesidade também aumenta.

Para adultos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomendam entre sete e nove horas de sono por noite, e realmente não há um atalho para contornar isso.

“Pode haver variação na quantidade de sono de que um indivíduo precisa… mas não sei se em um indivíduo você pode mudar muito. Acho que você pode se acostumar com menos sono, mas está se acostumando a ser infeliz”, disse o Dr. Steven H. Feinsilver, diretor do Centro de Medicina do Sono do Hospital Lenox Hill em Nova York.

Recomendamos:  Estas 5 dicas podem salvar você de vir a sofrer com Hérnia de disco

2) Assistir televisão é uma boa maneira de relaxar antes de dormir

Você provavelmente já está ciente que este é inaceitável. E vai além da televisão. Celulares, tablets e todos os tipos de eletrônicos pessoais não são uma boa ideia quando você está se preparando para dormir.

Os pesquisadores têm se concentrado cada vez mais na “luz azul” emitida pelas telas e seu efeito no sono e nos resultados negativos para a saúde relacionados ao sono.

“As camas são para dormir, com uma exceção. Assistir televisão e internet não é”, disse Feinsilver.

3) Em termos de saúde, não importa há que hora do dia você dorme

Nossos corpos tendem a seguir um ritmo natural de vigília e sono sintonizado com o nascer e o pôr do sol por uma razão.

No entanto, devido às nossas carreiras, famílias e vida social, nem sempre dormimos durante a noite.

Embora alguns tenham perdido o sono aqui e ali não seja necessariamente um grande problema, mudar sua programação de sono a longo prazo não é saudável.

Os autores do estudo escrevem que os indivíduos que trabalham no turno da noite muitas vezes experimentam a dessincronização do ritmo circadiano e sono de qualidade inferior. Eles também têm maior risco de problemas de saúde, incluindo depressão e diabetes.

“O tempo de sono é importante”, disse a autora do estudo Rebecca Robbins, PhD, pós-doutoranda na Escola de Medicina da NYU no Centro de Mudança de Comportamento Saudável, “É por isso que vemos grupos de riscos à saúde entre os indivíduos que trabalham em turnos.”

4) Deitar na cama com os olhos fechados é quase tão bom quanto dormir

Você pode sentir que está descansando o suficiente deitado na cama, mesmo que não consiga dormir, mas os pesquisadores classificaram esse mito como totalmente falso, bem como potencialmente prejudicial.

Tudo, desde o cérebro até o coração e os pulmões, funciona de maneira diferente durante o sono em comparação com o estado de vigília. Se você sabe que está acordado, o resto do seu corpo também sabe.

“Um está dormindo ou acordado com pouca sobreposição”, escrevem os autores. “As evidências disponíveis mostram que a atividade cognitiva quando uma pessoa está dormindo é distintamente diferente de estar acordado com os olhos fechados.”

5) Conseguir adormecer a qualquer hora e em qualquer lugar é um sinal de um sistema de sono saudável

“Uma pessoa que dorme saudável leva alguns minutos para adormecer. Vemos que se as pessoas adormecerem imediatamente… isso pode ser um sinal de que não estão dormindo o suficiente”, disse Robbins.

Sim, pode parecer um presente, mas adormecer instantaneamente, seja em um avião ou em uma reunião chata, pode realmente significar que você está sem sono.

Feinsilver até chama esse mito de “perigoso, porque minimiza a ideia do sono excessivo durante o dia como algo ruim para você ou um sinal de algo que é ruim para você”.

6) O álcool antes de dormir melhorará seu sono

Um vinho após o jantar. Um gole de conhaque antes de dormir. Alguns dos remédios para tosse do vovô. Seja qual for o seu veneno, ele não o ajudará a dormir melhor. Na verdade, provavelmente você se sentirá pior no dia seguinte.

“Isso não é apenas tremendamente errado, mas também muito perigoso. É realmente terrível para dormir”, disse Feinsilver.

Ele também observa que uma bebida noturna também pode causar apneia do sono ou piorá-la.

7) Seu cérebro e corpo podem aprender a funcionar tão bem com menos sono

Entre trabalho, amigos e família, quem tem tempo para uma noite inteira de sono?

“É apenas uma crença comum de que se você tentar um pouco mais, poderá sobreviver às consequências do sono insuficiente. Você apenas se adapta um pouco mais ou toma outra xícara de café e você será capaz de se virar e seguir em frente. Ouvimos isso o tempo todo”, disse Robbins.

No entanto, é mentira. Por mais que gostemos de pensar que podemos treinar nossos corpos para precisar de menos sono, a ciência diz o contrário.

“Todas as evidências mostram, sem sombra de dúvida, que o sono insuficiente crônico, de cinco seis horas ou menos, está associado a uma série de consequências desfavoráveis”, disse ela.

8) Embora seja irritante para os parceiros de cama, ronco alto é geralmente inofensivo

O ronco alto é, na verdade, um dos sintomas mais comuns da apneia do sono, um distúrbio em que um indivíduo pode realmente parar de respirar durante o sono.

Recomendamos:  11 sinais que sua família não gosta do seu cônjuge

O ronco alto e crônico pode indicar que as vias aéreas estão sendo bloqueadas à noite. Mas nem todo ronco é um sinal de apneia do sono.

A apneia do sono afeta a qualidade do sono. Portanto, se você ronca alto e sofre de fadiga ou sonolência durante o dia, esses sintomas juntos podem significar que você tem.

Indivíduos com outras condições de saúde, incluindo excesso de peso ou obesidade, hipertensão ou tabagismo, aumentam o risco de apneia do sono.

Conclusão

Em uma nova publicação, os pesquisadores dizem que equívocos comuns sobre o sono podem levar a comportamentos de sono prejudiciais.

Para lutar contra esses mitos do sono, eles desmascararam 20 dos mais comuns desses mitos, incluindo coisas como “assistir televisão antes de dormir é uma boa maneira de relaxar” e “os adultos precisam de cinco horas ou menos de sono para a saúde geral”.

A qualidade do sono está associada a resultados de saúde positivos e negativos.

Os pesquisadores esperam que, ao desmascarar esses mitos, os indivíduos obtenham uma melhor compreensão sobre o sono e melhorem seus próprios comportamentos de sono, melhorando também sua saúde.

“Acreditamos que esses mitos são um dos motivos pelos quais a população ainda não se entusiasmou com a ideia de tornar o sono uma prioridade”, disse Rebecca Robbins, PhD, pós-doutoranda na Escola de Medicina da NYU no Centro de Mudança de Comportamento Saudável.

“Se não fizermos o trabalho de intervenção ou de campanha de saúde pública para aniquilar esses mitos ou enfrentá-los de frente, desmascará-los e ajudar as pessoas a perceber e meio que motivar a colocar em prática os comportamentos baseados em evidências, estamos limitando nosso potencial para um bom sono e, finalmente, boa saúde”, disse ela.

Publicidade

Se esse conteúdo foi útil para si, clique aqui e descubra mais informações importantes sobre saúde. via: Healthline

- Publicidade -

Mais vistos