InícioCuriosidadesAdolescente é forçada a dar filha para adoção, mas 77 anos depois...

Adolescente é forçada a dar filha para adoção, mas 77 anos depois a encontrou

Publicidade

Uma adolescente Minka Disbrow foi forçada a dar sua filha recém-nascida Betty Jane para adoção em 1929, mas ela nunca parou de pensar em seu bebê. Quase 80 anos depois, Betty Jane – agora chamada Ruth – a encontrou.

O carro estava entrando. O coração de Minka batia forte, mas suas pernas a levaram para frente. Ao lado, ela viu Grant já na garagem com sua câmera de vídeo.

Rostos passaram pelas janelas do carro. Ela apertou os olhos para o banco do passageiro da frente, mas Betty Jane não estava lá. Através da janela escurecida dos fundos, ela viu uma mecha de cabelos brancos. Minka deu um passo à frente, abriu a porta traseira e encontrou um grande ramo de flores.

Continue a ler após a publicidade.

Atrás deles, ela viu o rosto de sua filha, o que ela vira apenas em fotos, e ouviu a voz que ouvira apenas ao telefone.

Tudo desapareceu atrás de um desejo. Para colocar a filha nos braços. E então, ela estava.

A visão de Minka ficou turva. Sua voz ficou presa na garganta. Seus braços se envolveram com força em torno de sua menina, as mãos cerradas contra suas costas. Ela esperou mais de 28.000 dias por isso, sua filha segura em seus braços. A alegria disso era ilimitada.

Betty Jane. Sua Betty Jane, finalmente voltou para ela. O bebê, a menina, a adolescente, a jovem mãe, a avó. Ali estava Betty Jane como um bebê gordinho, brincando de se vestir, perdendo o primeiro dente, passando batom, usando um vestido de noiva, esperando o primeiro filho, o quarto, o sexto. Ali estava Betty Jane como uma nova avó, uma nidificadora vazia, uma mulher idosa. Aqui estava tudo de uma vez, uma vida inteira em um momento.

Recomendamos:  Os 12 melhores alimentos para comer antes de dormir e perder peso

Minka tinha perdido cada segundo, mas ela esperou, ela esperou para sempre e ela manteve sua promessa, ela nunca tinha esquecido – e agora, impossivelmente, sua Betty Jane tinha sido devolvida a ela.

Finalmente Minka relaxou um pouco, afastando-se para ver aquele rosto querido novamente – um rosto tão enrugado quanto o dela, e familiar apenas por fotos recentes.

Mas Minka acreditava que ela reconhecia aqueles olhos azuis-claros. Ela olhou para eles e então sua filha pressionou novamente e beijou sua bochecha. Minka conseguiu falar, suas palavras atravessando uma garganta engrossada pelo peso de um milhão de “eu te amo” que nunca haviam sido ditos.

“Você é tão maravilhosa… como pensei que você seria”, disse Minka.

Continue a ler após a publicidade.

Foto de vídeo de Grant Huhn

Sua filha estava apertando flores em seus braços, e Teresa se adiantou para um abraço, e então aqui estava Brian, o neto que trouxe sua filha para casa. O momento girou em torno de Minka; ela tentou capturá-lo, mas foi levada embora.

Ela abraçou Brian, segurando com tanta força que as primeiras palavras risonhas de Brian foram: “Não tão forte, vovó!”

Superado, Minka começou a tremer e quase tropeçou. Ruth e Brian a abraçaram, firmando-a. Eles se voltaram para a câmera de Teresa para tirar uma foto.

“O poder de Deus…” Minka disse, pensando nas décadas de oração que levaram a este momento.

“Uau”, disse Teresa enquanto abaixava a câmera e observava as duas mulheres. Elas não pareciam estranhas se encontrando pela primeira vez. Havia algo as entrelaçando, inegavelmente, bem diante de seus olhos.

Recomendamos:  10 pessoas contam suas experiências de vida após a morte

“Que tal isso”, disse Brian.

Grant estava filmando desde o momento em que Minka desceu a passarela. Ele lutou para manter o nível da câmera ao receber abraços e dar as boas-vindas. A emoção estava grossa em sua garganta também.

Minka encostou a testa no rosto de Ruth. Elas se abraçaram.

“Isso é alguma coisa, não é”, disse Ruth. Ela sorriu. “Setenta e sete anos.”

Os pensamentos de Minka saltaram para frente e para trás entre aqueles dias perfeitos com sua filha recém-nascida na Casa da Misericórdia para Betty Jane neste momento, de volta ao dia da despedida e agora juntos novamente.

“Você finalmente voltou para os braços de sua mãe”, disse Minka, apertando a filha. “Demorou bastante,” ela brincou gentilmente.

Minka agarrou o buquê em um braço, Ruth no outro.

“Que dia glorioso”, disse Minka.

“Sim, é”, Ruth concordou. “Sim, ele é.”

“Bem, entre,” Minka disse, suspirando de contentamento. “Você pode muito bem conhecer sua casa.”

Ruth desenvolveu uma amizade semelhante à de uma irmã com Minka, que faleceu em 16 de junho de 2014 aos 102 anos. Este trecho foi retirado do livro de memórias  The Waiting, de Cathy LaGrow, filha do segundo filho de Minka. Copyright © 2014. Usado com permissão de Tyndale House Publishers, Inc. Todos os direitos reservados.

Publicidade

Se você gostou dessa linda história, navegue pela nossa categoria curiosidades e encontre muito mais. via: rd

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais vistos