“Descubra

Segundo a ciência, os pais têm um filho favorito

Se você é uma pessoa que tem um ou mais irmãos, certamente você se identificará muito com este artigo. Desde a infância percebemos que nossa mãe ou pai sempre mimam mais um filho do que outro, embora sempre enfatizem que não é assim.

Um estudo indica que apesar de amar seus filhos incondicionalmente, eles sentem mais empatia por um deles. Leia com muito cuidado quais são as razões que tornam isso evidente.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, chegaram a essa conclusão após estudar 384 famílias.

Descobriu-se que 70% das mães e 74% dos pais admitiram que preferiam um de seus filhos. E, embora não tenham especificado qual é o seu favorito, os pesquisadores acreditam que ele é sempre o filho mais velho.

Na maioria das 384 famílias estudadas, o primeiro filho sentiu que suas conquistas foram mais valorizados pelos seus pais do que seus irmãos mais novos, e os pesquisadores afirmam que pelo fato das mães e pais estarem vivendo as experiências de maternidade e paternidade pela primeira vez, isso acaba os tornando mais memoráveis.

Meninas ou meninos: Quem são os favoritos?

Outro estudo da Universidade Purdue, nos EUA, disse que as meninas são sempre os favoritas, mas também disse que quando elas chegam à adolescência – enquanto na infância são muito mais obediente e ligado a seus pais – tornam-se mais rebeldes e perdem seu favoritismo.

Como você pode notar, aqueles que eram os filhos mais velhos são os favoritos dos pais, mas é claro que essa regra pode ser quebrada e pode ser qualquer outro membro da família. Você é o filho / filha favorito de seus pais?

fonte; asomadetodosafetos

Mulheres devem ir para o sofá assim que chegam a casa, revela pesquisa

Apenas 10 minutos depois do trabalho. Nem sabem o bem que vos vai fazer!

Não poderia estar mais de acordo com este estudo, mas a verdade é que nem sempre assim é.

Normalmente as mulheres chegam a casa, tem de preparar o jantar, apanhar a roupa, tratar dos animais ou dos filhos… enfim uma panóplia de tarefas que só quem é mulher entende.

Vivam elas sozinhas ou acompanhadas, na verdade o que referi acima é a realidade de muitas.

E porquê, perguntam vocês!

Porque ao longo dos anos sempre assim foi definido, é esta a educação que nos é dada enquanto crianças, a mãe trata de nós, dá-nos banho, leva-nos à nossas atividades extra escolares, e o pai trabalha muito e chega cansado a casa.

No entanto essa realidade está a desvanecer um pouco. Pois a mulher já é cada vez mais ativa na sua vida profissional, e procura afirma-se mais na sua carreira de trabalho (o que acho muito bem).

Segundo um estudo que eu li no Observador, realizado no Departamento de Medicina Ocupacional da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, as mulheres deveriam chegar a casa e descansar pelo menos 10 minutos no sofá (embora eu defenda que acho que isso não chega).

Isto porque os níveis de stress de uma mulher são bem mais elevados que os dos homens, o que é natural, a mulher dramatiza muito mais do que o homem. Pois o homem é bem mais racional e a mulher mais sentimental e sensível (por norma, não quer dizer que não haja raras exceções).

Através de análises à urina foi possível detectar que os níveis de stress no final do horário de trabalho entre os homens e as mulheres registam uma grande divergência. E adivinhem lá, quem é o mais stressado? A mulher claramente!

Já alguma vez ouviram dizer que as mulheres teem a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo? Pois bem isso não é um mito!

As mulheres mesmo antes de acabar o seu turno no trabalho, começam a planear as tarefas domésticas que terão de fazer quando chegam a casa. A pensar o que vão fazer para o jantar, se dá ou não tempo de ir ao ginásio, passear o cão, levar o filho à natação… enfim, quaisquer que sejam as tarefas!

Já os homens, só pensam em chegar a casa e descansar porque tiveram um dia de “cão” e estão super cansados. E mesmo os solteirões, que vivem sozinhos não estressam por nada, porque nem que tenham de meter um pizza no forno ou levar comida do take away já sabem que de fome não morrem e isso para eles chega-lhes.

Os homens são práticos e relaxados! Por isso mulheres aprendam com eles, cheguem a casa, vão para o sofá relaxar um bocadinho, e depois sim, retomem a vida atarefada.

via; paporeto

10 filmes para quem entende que a empatia é um dos maiores valores da vida

Não são poucos os filmes que nos fazem estremecer quando notamos que, vestidos na pele de seus personagens e vivendo suas histórias, talvez nós não tivéssemos recursos para reagir. Nós vemos o quanto pode “pesar a cruz” do outro e percebemos que “olhar de longe”, mesmo que com compaixão, não faz com que o ajudemos em sua jornada.

É fato que nós nunca saberemos exatamente, a não ser que já passou por isso, como é ser perseguido por sua cor, credo ou religião.

Não sabemos como é ser abusado ou mesmo ser uma mulher na corpo de um homem. Só quem passa por isso pode dizer e sentir sua própria experiência. Entretanto, quando nos envolvemos sinceramente e de coração aberto em uma história, passa a ser possível, por algum tempo, que vistamos a pele de seus personagens, e imaginemos como seria. Nesses momento, novas perspectivas se abrem e repensamos nossos valores e escolhas. Identificamos que o que é simples para uma pessoa pode ser quase impossível para outra e podemos nos solidarizar e sermos mais gentis e até mesmo militantes no dia a dia.

Os filmes selecionados abaixo certamente tocarão a alma de pessoas sensíveis, pois lhes permitirão essa proximidade com a dificuldade de um outro alguém. E, nesses casos, sentir a dor do outro é uma grande maneira de crescer, pois, no futuro, saberemos melhor o que temos que concretamente fazer.

1- Os meninos que enganavam os nazistas

(para sentir na pele o que é o xenofobismo)

Baseado no livro homônimo de Joseph Joffo. Baseado na história real descrita pelo autor, em meio ao medo, os irmãos judeus Joseph e Maurice se separam da família durante a Segunda Guerra Mundial, quando a França está ocupada pelos nazistas. Os dois têm de encontrar coragem e desenvolver estratégias para fugirem dos alemães, enquanto tentam reencontrar seus pais.

O filme pode ser encontrado no Youtube.

2- A garota dinamarquesa

(para sentir na pele como uma pessoa percebe que possui uma identidade de gênero oposta a de seu nascimento)

Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher. Censura 14 anos.

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

3- O quarto de Jack

(para sentir na pele a realidade de uma mulher sequestrada e acompanhar parte da infância de criança que nasceu em cativeiro)

Joy (Brie Larson) e seu filho Jack (Jacob Tremblay) vivem isolados em um quarto. O único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick (Sean Bridgers), que os mantém em cativeiro. Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas não vê a hora de deixá-lo. Para tanto, elabora um plano em que, com a ajuda do filho, poderá enganar Nick e retornar à realidade. Censura 14 anos

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

4- Para sempre Alice

(para sentir a dor, o medo, as adaptações, os lutos e recomeços de pessoas que têm suas vidas completamente modificadas por um diagnóstico de Alzheimer)

A Dra. Alice Howland (Julianne Moore) é uma renomada professora de linguistica. Aos poucos, ela começa a esquecer certas palavras e se perder pelas ruas de Manhattan. Ela é diagnosticada com Alzheimer. A doença coloca em prova a a força de sua família. Enquanto a relação de Alice com o marido, John (Alec Baldwinse), fragiliza, ela e a filha caçula, Lydia (Kristen Stewart), se aproximam. Censura 12 anos.

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

5- Me chame pelo seu nome (Call Me By Your Name)

(Nesse caso podemos acompanhar o enamoramento de um rapaz que identifica, através de uma grande paixão, que possui interesse por homens.)

O sensível e único filho da família americana com ascendência italiana e francesa Perlman, Elio (Timothée Chalamet), está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda quando Oliver (Armie Hammer), um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai, chega. Censura 14 anos

PS: esse eu assisti pelo Popcorn Time

6- A Troca

(Para sentir a dor de uma mãe que, se por um momento se auto engana, depois volta a lutar desesperadamente pelo seu filho)

Los Angeles, março de 1928. Christine Collins (Angelina Jolie), uma mãe solteira, se despede de Walter (Gattlin Griffith), seu filho de 9 anos, e parte rumo ao trabalho. Ao retornar descobre que Walter desapareceu, o que faz com que inicie uma busca exaustiva. Cinco meses depois a polícia traz uma criança, dizendo ser Walter. Atordoada pela emoção da situação, além da presença de policiais e jornalistas que desejam tirar proveito da repercussão do caso, Christine aceita a criança. Porém, no íntimo, ela sabe que ele não é Walter e, com isso, pressiona as autoridades para que continuem as buscas por ele.

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

7- 12 anos de escravidão

(E se você pudesse acompanhar como foi a vida de um homem que permaneceu escravo por 12 anos? Talvez seu olhar com relação as brincadeiras racistas mude.)

Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo liberto, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos ele passa por dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

8- Grandes olhos

(A história desse filme, baseado em fatos reais, nos mostra- e nos faz sentir- até que ponto um casamento abusivo pode chegar)

O drama apresenta a história real da pintora Margaret Keane (Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras.

(em 20-08-2018 está disponível na Netflix, mas o filmes podem sair do catálogo sem aviso prévio.)

9- O castelo de vidro

(Aqui vemos como crianças crescem em meio a uma família disfuncional e marcada por transtornos psiquiátricos)

Baseado no livro “Castelo de Vidro” (que é maravilhos!), da jornalista Jeanette Walls, a trama retrata a infância da escritora, criada com os irmãos no seio de uma família desequilibrada, bastante pobre e nômade.

O filme pode ser encontrado no Youtube.

10- Intocáveis

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabele, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro.

Não recomendado para menores de 12 anos

(Em 20-08-2018, encontra-se fora do catálogo Netflix, mas pode ser encontrado no Youtube)

via; psicologiasdobrasil

Empresa de cosméticos maquia mulheres no dia do divórcio e ex-maridos mostram reações inusitadas

Relacionamentos não são fáceis!

E quando você começa a conviver com a pessoa amada dia após dia, vemos as diferenças mais de perto, as manias que irritam, as brigas bobas sobre questões fúteis, a falta de comprometimento com algumas tarefas domésticas e financeiras, entre outros.

Isso gera desgaste até que chega um dia que a situação se torna insustentável e o divórcio se torna a solução.

Pensando neste contexto, uma empresa famosa de cosméticos acabou gerando uma polêmica por um vídeo publicitário, que dividiu opiniões entre os telespectadores e clientes da marca.

Alguns consumidores alegaram que a campanha ajudou as mulheres a recuperarem sua autoestima, porém outros alegaram que a campanha desperta um tom machista e preconceituoso.

O Vídeo

O vídeo apresenta três casais prontos para assinarem a carta de divórcio, sendo que tudo foi gravado e feito em comum acordo entre a empresa e os casais.

A Empresa então promoveu um dia de beleza para as três mulheres, o vídeo ganhou o título de “Linda Ex”.

No vídeo também conta-se o motivo que os levou ao divórcio, sendo muitos a “falta de atração” ou “acostumar-se” com o outro. As mulheres então passam por uma grande transformação em seu visual e a reação dos homens é de total surpresa ao vê-las arrumadas no dia do divórcio.

As polêmicas geradas com vídeo foram muitas, uma das consumidoras declarou: “porque a mulher tem que viver sempre arrumada e bem cuidada e o homem não se cuida e mulher tem que aceitar?”.

Outra consumidora foi mais contundente afirmando: “homens somente ficam ao lado das mulheres desde que elas continuem lindas”.

Veja o vídeo da campanha publicitária:

via; sabervivermais

Pessoas com letra feia são mais inteligentes, revela pesquisa

Se alguém criticar sua caligrafia… é porque inveja sua inteligência!

Se já zombaram de quão mal você escreve, e você nunca entendeu nada, parabéns, é hora de se gabar do seu intelecto superior.

De acordo com pesquisa realizada pela Universidade de Yale (Estados Unidos) e publicada pelo American Journal of Psychology, as pessoas com as letras mais feias são geralmente as mais inteligentes.

O relatório indica que os alunos com melhores qualificações costumam expressar suas ideias em textos escritos com menos elaboração.

A deficiência no desenvolvimento da escrita deve ser por conta de que seus cérebros ganham velocidade em suas mãos, tentando acrescentar tanta informação no menor tempo possível, é por isso que, quem escreve mais feio também escreve rápido.

“Crianças com letras ruins mostraram altas habilidades mentais e agilidade mental acima da média. Para eles, a informação que receberam foi mais importante do que lutar por uma boa letra.” -Psicólogo Arnold L. Gesell, da Universidade de Yale.

O conceito de inteligência nos diz que é mais inteligente quem resolve os problemas no menor tempo possível, o que requer uma grande virtude: a agilidade mental.

Crianças com maior agilidade mental em teoria devem ser as mais inteligentes. É por isso que a inteligência está relacionada à deficiência na escrita.

Apesar do problema ter uma solução, Gessel também afirmou que, com a prática, coordenando corretamente a visão, o cérebro e a mão, a escrita pode ser melhorada.

Mas as pessoas raramente se preocupam em melhorar a compreensão de sua escrita.

via; asomadetodosafetos

Cumprimente todos, confie em poucos mas não dependa de ninguém

Ser gentil não custa nada e só nos traz benefícios. Sorrir com verdade pode até ajudar quem menos esperamos, pois há sempre alguém procurando por alguma luz em seu dia. Nem imaginamos o quanto de alento um simples “bom dia” pode trazer a quem passa por escuridões dolorosas.

Por outro lado, é muito desagradável deparar-se com uma cara amarrada já às sete horas da manhã, com pessoas deseducadas, mal humoradas e ríspidas, afinal, ninguém tem culpa da nossa briga com o mundo.

Quem de nós nunca foi completamente ignorado ao passar rente a um colega, a um conhecido, a alguém que já conversou conosco, já passou um tempo na nossa companhia e, portanto, já sabe o nosso nome?

Não dá para entender por que certas pessoas fingem que não conhecem os outros, se é insegurança, medo sabe-se lá de quê, problema de visão, distração excessiva, ou pura e simplesmente soberba gratuita mesmo. Sentem-se superiores ou inferiores, afinal? Vai entender…

É perfeitamente possível sermos educados e atenciosos com quem quer que seja, sem que precisemos aprofundar intimidade com quem não simpatizemos.

Aliás, não conseguiremos ter afinidade com todo mundo à nossa volta e isso não quer dizer que só deveremos nos dirigir tão somente àqueles de quem gostamos.

Cumprimentar uma pessoa, trabalhar no mesmo ambiente ou sentar à mesa de amigos em que ela está não nos obriga a manter fortes laços com ela.

Na verdade, conheceremos muita gente, porém, confiaremos em pouquíssimas pessoas, porque o que temos de tão nosso jamais poderá ser entregue a qualquer um, sem ressalvas.

Muitos aguardam qualquer chance de derrubar quem quer que seja, através de fofocas maldosas principalmente.

Termos a segurança de dividir nossa vida com as pessoas certas nos poupará de inúmeros dissabores e decepções. E esses poucos sempre valerão a pena.

Fato é que não devemos depender muito das pessoas, para podermos seguir nossas vidas sem pendências excessivas, uma vez que os outros, muitas vezes, não correspondem às expectativas que costumamos lhes imputar.

Nem sempre as pessoas agirão conforme o que esperávamos, tampouco terão atitudes iguais às nossas. Cada pessoa possui o seu próprio coração e nele guarda aquilo que quiser – ninguém manda nos sentimentos alheios.

Melhor tentar não depender de ninguém, nem contar muito com os outros, afinal, quanto mais depositarmos nossa felicidade fora de nós, mais distante ela se torna.

Quando contamos com nós mesmos, então mantemos as chances de ser feliz aqui dentro, que é onde a felicidade deverá sempre permanecer.

fonte; psicologiasdobrasil

A falsa vida que muitos sentem a necessidade de mostrar

Tem gente que anda tão preocupado em se mostrar bem e agradar, que acaba se perdendo de si mesmo. Quando a pessoa se deixa seduzir pelas tentações do ego e da vaidade, acaba entregando a vida para uma viagem só de ida. Só na tela.

São tantos que vivem iludidos por espelhos de pequenas ilusões e escondidos atrás de cortinas de grandes mentiras, que com o passar do tempo perdem a noção da realidade. Já não conseguem viver sendo verdadeiros. É há uma cobrança coletiva por baixo disso. Somos cobrados pelo sucesso alheio e incentivados a sermos iguais. Mal sabemos que, em algumas situações, por detrás de uma foto postada, quase sempre há máscaras, quase sempre há pessoas com a alma ferida, tentando se mostrar fortalecidas.

Quando a pessoa se deixa seduzir pelas tentações do ego e da vaidade, acaba entregando a vida para uma viagem só de ida. Só na tela. Tentar competir com o mundo é a melhor e mais rápida maneira de ser derrotado.

Existe um enquadramento relacionado entre as redes sociais e sua fábrica de ilusões. Parece absurdo, mas, na maioria das vezes, só postamos aquilo que queremos que os outros vejam. Postamos aquilo que queremos ser (e muitas vezes não somos). A verdade nem sempre é mostrada. Poses e mais poses, filtros e mais filtros para se chegar na foto perfeita. Quantas são as vezes que em busca de aprovação de outras pessoas, pintamos um quadro totalmente disforme da realidade. Nem sempre é o que parece, por vezes as pessoas estão prestes a cair num precipício, mas querem que todos pensem o contrário. A busca doentia por “likes” transforma fulanos e fulanas em reféns de suas próprias mentiras.

A postagem dos outros se torna uma provocação e é preciso se mostrar melhor. Mudar a aparência não é mais suficiente, é preciso fingir outra vida.

Na verdade, há casos em que a diferença de imagem entre a pessoa real e a pessoa mostrada na tela do computador é tão grande, que, na grande parte das vezes, é algo inacreditável. São figuras distintas, quase que irreconhecíveis quando colocadas lado a lado. A sociedade se reconfigura quando se projeta uma imagem vitoriosa. Há uma aceitação maior. Há uma glorificação da figura do ser bonito, rico e perfeito e não se enquadrar nisso é dolorido para pessoas (em sua maioria) com a autoestima abalada demais ou elevada demais. Umas de um lado, outras de outro. Paradoxos difíceis de compreender. Um sonho de consumo que faz muitos se sentir inseguros e tristes. Um sonho de consumo que faz muitos se mostrar alegres e bem-sucedidos. Um sonho de ser além do que as outras pessoas comuns aparentemente são.

Os perfis são tão perfeitos, as pessoas tão alegres, as fotos tão bonitas, as comidas tão gostosas, as selfies mais incríveis, as festas mais chiques, os amigos tão sorridentes, as famílias tão impecáveis, empregos poderosos, romances maravilhosos, viagens inesquecíveis, as roupas mais caras: A melhor vida possível! Depois desse prazer dos diversos likes, essas ações viciam e tendem a se repetir.

Quando tudo isso é verdadeiro e realmente vivemos e temos essa vida, é bom demais expor as conquistas.

Ostentar sucesso e trabalhar o marketing pessoal, pode fazer parte, saudavelmente, do dia a dia do vaidoso. Quando é sem muitos exageros, melhor ainda. O perigo é quando muita parte do que é exibido não é real, é montado, disfarçado, é fake. Existe o risco de ser descoberto e o castelo cair, o prazer pode virar dor, a luxúria pode virar amargura, aplausos viram vaias, beleza vira vergonha e sorrisos viram choro.

É complicado pensar que atualmente os níveis de felicidade, realização e sucesso das pessoas são calculados pelo número de likes e coraçõezinhos em seu perfil. Cliques esses, muitas vezes feitos por pessoas que nem se conhecem.

Fica mais difícil saber que isso também nos atinge. Essa falsa prosperidade que muitas vezes encontramos na vida dos outros, nós tentamos concretizar na vida da gente também e nem sempre conseguimos.

A vida não nos cobra perfeição, mas a sociedade sim, os amigos sim, a família sim e com isso projetamos uma imagem de vencedor para agradar. Esse limite entre o real e o virtual, nos traz para uma reflexão sobre o que fazemos e o quanto ficamos invejosos sobre o que os outros fazem melhor do que nós. É como se a felicidade interior só tivesse alguma serventia se as outras pessoas vissem e curtissem. Como se a felicidade alheia fosse algo para incitar inveja.

Muitas vezes a gente se sente assim, insuficiente. Sentimos inveja. Sentimos que não chegamos lá. Mas não queremos assumir e não pretendemos nos esconder. Mas, se você precisa mudar seu jeito e esconder suas verdades para caber no mundo, saiba que jamais nada disso o deixará mais feliz, nem mais aceito, nem mais bonito ou bem-sucedido.

Quando você se mostra grande em cima de algo que você não construiu, a queda é certa e sua pequenez será exposta algum dia. Não existe quem não precise de melhorias, sempre deve haver uma inspiração que nos guie aos acertos, mas é preciso repelir os erros, é preciso aceitar quem somos.

Se a gente tiver um coração do bem, ele se abre e cria espaço para receber energia positiva e somente um coração cheio de alegria e verdades pode fazer uma alma repleta de felicidade.

A alma é que deve se mostrar feliz e não aquela foto maquiada da rede social. Só por isso já vale a pena a gente lutar para se mostrar como é. Não deixe que as vaidades o impeçam de andar somente pelos caminhos da verdade. Somente a verdade deve ser mostrada, mesmo que ela não o enobreça, mesmo que ela não o cresça, mesmo que ela não o coloque em palanques e palcos, não lhe traga prêmios e palmas. Mas entenda que só ela importa. Só ela é nobre. Só ela interessa.

A imagem verdadeira é a única coisa que a gente deve ter de melhor e mais belo a se mostrar.

fonte; cleonio.dourado

5 Tipos de invejosos que você convive e não sabe

A inveja, um dos sete pecados capitais, é um ressentimento profundo e muitas vezes hostil em relação a uma pessoa que possui algo que desejamos. É um anseio pelo que alguém tem e ao mesmo tempo a sensação de incapacidade de alcançá-lo.

O escritor argentino, Jorge Luís Borges dizia que é muito bom “ser invejável”. No entanto, a inveja é um dos sentimentos mais prejudiciais que existe. Isso provoca danos àquele que o experimenta e também a quem é o objeto, já que muitas vezes essa pessoa é forçada a superar todos os tipos de obstáculos que as pessoas invejosas colocam no seu caminho.

A inveja é um sentimento corrosivo que pode arruinar a vida. Carrie Fischer resumiu brilhantemente com estas palavras: “A inveja é como beber veneno e esperar que a outra pessoa morra”.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Ciências Radiológicas do Japão verificaram que existem 5 tipos de pessoas invejosas com quem convivemos todos os dias e não sabemos que são invejosas. São elas:

O invejoso sarcástico

Aparentemente, essa pessoa assume tudo com um falso senso de humor, mas na realidade eles estão camuflando sua inveja por meio do sarcasmo, que é a sua arma favorita para fazer os outros se sentirem mal. Não atacará diretamente, mas sempre estará atento para destacar suas fraquezas ou erros com um risinho cínico. É sua maneira inferiorizar. E se você perguntar o que ele quis dizer, ele se dirá ofendido e chateado.

O invejo direto

Esta pessoa ataca diretamente, para fazer você se sentir mal. Normalmente, eles são pessoas inseguras, com personalidade agressiva, que se preocupam em detalhar suas falhas para tentar que você não possa aproveitar o que você conseguiu. Eles permanecem atentos, de modo que em qualquer pequeno sinal de sucesso, eles vão lembrá-lo de uma falha ou erro prévio. Este tipo de pessoa invejosa é muito cuidadosa, porque não hesita em colocar obstáculos no seu caminho, para evitar que você tenha mais sucesso. Essa pessoa é aquela que não se faz de rogada em demonstrar que ela merecia o prêmio mais que você. É uma pessoa tóxica, um vampiro psíquico que você precisa afastar de sua vida.

O invejoso pessimista:

Seu objetivo é minar sua moral e arruinar sua motivação. Qualquer notícia positiva que você dá, a pessoa refuta, recorrendo a argumentos negativos com o único objetivo de desanimá-lo: ‘olha não quero te desanimar não, mas…”.

O invejoso competitivo

Esta pessoa não lhe dirá nada abertamente, mas sua atitude e ações dizem tudo. Ele está ciente de cada detalhe de sua vida, para imitá-lo. Se você comprar um celular, corre para comprar outro que é muito melhor, se você mudar o sofá, compra um maior e de melhor qualidade. É o tipo de pessoa invejosa que nunca está satisfeita com o que ela tem, então ela continuamente quer o que você tem. O mais incrível neste tipo de pessoa é que ela diz que você comprou primeiro porque ela havia dito que ia comprar. Ela dirá que você tem inveja dela.

O invejoso à espreita

Esta pessoa também não lhe contará nada, pelo menos não no início. Ele se torna uma espécie de voyeur silencioso, que vê sua vida passar com inveja. Quando você finalmente comete um erro, falha ou algo dá errado, ela aproveita esse momento de queda para colocar o dedo na ferida. Sua frase favorita é: “Eu lhe havia dito!” – frase típica de uma pessoa cruel disfarçada de boa pessoa. Acredite, existem pessoas cruéis disfarçadas de boas pessoas que escondem uma profunda satisfação em fingir consolo quando na verdade quer lhe humilhar para que ela se sinta superior.

Se você detectar esse 5 tipos de invejosos em sua vida se afaste deles. São pessoas tóxicas não somam. Descubra os talentos de uma pessoa tóxica e não sofra mais.

Publicado originalmente em Rincón de la psicologia

via; portalraizes

Casais que soltam pum na frente um do outro têm relacionamento bem-sucedido e mais seguro

e acordo com um novo relatório publicado no site Mic, os gases são uma importante parte de todos os relacionamentos. Basicamente, se você se sente confortável em fazê-lo, enquanto seu parceiro não, pode ser um sinal negativo na relação.

Conforme reportado pelo estudo, a primeira vez que você decide soltar um pum na frente de seu parceiro é um marco significativo e autêntico do relacionamento, muito mais até do que o primeiro “eu te amo” dito, e talvez ainda maior do que o casamento, segundo informações do jornal inglês Metro.

Fazê-lo mostra que você realmente se sente confortável na frente do outro, sendo um momento essencial para qualquer relacionamento bem-sucedido. No entanto, esse evento de intimidade não é compartilhado por todas pessoas.

O relatório descobriu que enquanto a maioria das pessoas (29% dos entrevistados) entre os 20 e 30 anos esperam de dois a seis meses para soltar o primeiro gás na frente do parceiro, cerca de 9,3% delas chegam a esperar até um ano inteiro para isso.

Já 25,2% dos entrevistados disseram esperar entre de meses a um ano, 22,4% disse abandonar o ambiente para se aliviar e cerca de 7% dos entrevistados afirmaram que nunca o fizeram na frente de um parceiro. O relatório também observou que, entre as pessoas solteiras, cerca de 19% admitiu que só soltaria gases na presença de um companheiro se ele já tiver tomado a mesma iniciativa antes.

Então, conforme lembrado pelo jornal, é realmente aconselhável aos casais que buscam longevidade no relacionamento, que tomem iniciativa para darem esse passo tão importante na intimidade.

fonte; jornalciencia

No futuro só existirão solteiros e bem casados

Li esses dias algumas palavras sábias e certeiras do querido psiquiatra Flavio Gikovate a respeito do futuro dos relacionamentos não só no Brasil, mas no mundo todo. Farei uma breve reflexão a partir delas. Confira!

Numa relação respeitosa não há lugar para as “brigas normais dos casais”. Amor é paz, aconchego e companheirismo. Do contrário, é melhor ficar sozinho. A qualidade de vida dos solteiros está cada vez melhor, de modo que se transforma automaticamente numa “nota de corte” para os relacionamentos: tudo o que for pior do que viver só irá desaparecer. No futuro só existirão solteiros e bem casados!

Flavio Gikovate

Deixo claro que ele tinha essa noção para um futuro bem, bem distante. Provavelmente nem eu nem você que me lê agora veremos essa realidade na grande massa da população. No entanto, é um fato estarmos caminhando lentamente nessa direção.

O Gikovate não cansava de repetir que as pessoas confundem amor com paixão. É a paixão que leva aos enormes desequilíbrios que vemos nos relacionamentos. O amor verdadeiro é para poucos, e para que ele seja alcançado é preciso mergulhar no autoconhecimento, a partir da máxima do mestre Jesus Cristo: “Amai ao próximo como a ti mesmo”. Enfim! Tudo começa pelo amor próprio. Sem ele é impossível amar outra pessoa…

Eu adoro conhecer as palavras na sua origem, isso me ajuda a explicar com mais contundência esses conceitos tão importantes. Veja só! Amor é paz e paz significa “um estado de calma, de tranquilidade”. Por sua vez calma significa literalmente “com alma”, ou seja, o amor é para as pessoas que vivem conectadas com suas almas. Não é interessante?

Amor é aconchego, que é sinônimo de amparar, abrigar, confortar. Se você observar bem tais palavras, vai perceber que todas se tratam de um compartilhamento, ou seja, dividir um pouco de si com o outro (partilhar junto). Confortar é juntar as suas forças com a da pessoa que você ama. Isso é fabuloso!

Por fim. Amor é companheirismo, ou seja, é você dividir o pão com quem ama. É você ser desprendido, generoso, atencioso, prestativo etc. etc.

Percebe o quanto o amor é multifacetado? É por essas e outras que jamais o tema do amor será esgotado. Sempre tem algo a mais a se falar sobre ele.

Se não existe isso em um relacionamento, não é amor de verdade. Está mais para paixão, que esfria e com o esfriamento pode-se por tudo a perder.

É preferível estar sozinho a estar com alguém que não nos respeita e não nutre por nós essas virtudes que foram enumeradas.

A metáfora da “nota de corte” é simplesmente genial . Ela é usada nos vestibulares para elencar os alunos aprovados nos cursos superiores ou nos concursos para facilitar até no processo de refinamento de candidatos. Os cursos com maior prestígio e concorrência são os que têm maior nota de corte, e como fazer para entrar neles? Estudar, e estudar muito, todos os dias, com dedicação e persistência.

Por que seria diferente com relação ao amor? O amor se estuda sabia disso? Esse texto mesmo é um estudo meio simplificado sobre o amor! Se você continua até aqui a leitura, meus parabéns! Mostra que você de fato se interessa por esse tema universal.

Os que mais estudam a si mesmos são os que mais desenvolvem o amor próprio, e consequentemente o amor pelas outras pessoas. Quem se conhece melhor sabe bem qual é a melhor companhia, o si mesmo, ou o self, na linguagem do brilhante terapeuta Carl Jung. Esse amor próprio faz elevar essa ‘nota de corte’. Ela não é algo racional, algo numérico, tipo “minha nota é um 8,0”. Não é isso! Ela é algo interno, e se percebe pela vibração, pela energia que a pessoa emana.

Uma pessoa com grande amor próprio é segura de si, é calma, não se compara com as outras, não se incomoda com críticas, não se vangloria com elogios, não se vitimiza etc. Quem se aproxima delas sente isso muito facilmente. Essa é a ‘nota de corte’ que o Gikovate fala.

Essas pessoas só se relacionam de forma mais íntima com as pessoas afins. E aproveito pra estender a reflexão até para o nível das amizades. Estamos sempre entre as pessoas afins conosco e que vibram na mesma frequência.

As pessoas com forte amor próprio só querem estar perto daquelas que também se amem da mesma forma e que juntas compartilhem experiências de forma que ambas cresçam nesse convívio! Se não for assim elas “pedem pra sair”, como se diz popularmente!

Essas palavras do Gikovate representam o futuro, este futuro que estou jogando uma pequena semente agora e que certamente vai germinar no coração de pelo menos uma parte dos leitores. No futuro, só se casarão as pessoas que queiram transbordar paz, aconchego e companheirismo. As demais estarão solteiras e felizes, muito felizes…

via; coruja-prof

Escolha uma vassoura e descubra o que ela revela sobre sua personalidade

As vassouras sempre foram relacionadas à feitiçaria. Quando imaginamos a figura de uma bruxa, uma das características que mais facilmente lhe associamos é o fato de voarem numa vassoura.

Homens e mulheres vêem um sinal de feitiçaria na vassoura.

Quando falamos “vassoura” logo em seguida lembramos da tarefa mais convencional desse instrumento: varrer. Varremos para quê? Para limpar, então para que serviria uma “vassoura mágica”? Para limpar miasmas astrais, energias negativas que adentram a casa, entre outros.

As bruxas usavam vassouras especiais para fazer uma limpeza espiritual na casa, no caso essa vassoura mágica não serve exatamente para varrer a poeira mas sim energias que não estão presentes para nosso auxílio na evolução espiritual, nada mais, nada menos.

Como as vassouras são um símbolo da magia, escolha uma e descubra sua personalidade feiticeira.

Vassoura 1. Perspicaz

Desde pouca idade, você sempre se destacou por ter uma intuição muito desenvolvida. Conseguia sentir quando um entre querido não estava bem, ou até mesmo atraía seus amigos com o pensamento.

Você sabe como desvendar o que está acontecendo ao seu redor e é difícil para você perder alguns detalhes. Você sempre consegue antecipar os eventos e acertar.

Vassoura 2: Habilidosa

Seu grande poder é encontrar a receita certa para cada momento. Você sabe combinar as peças de maneira que elas funcionem.

De fazer um bolo a trabalhar em equipe, você é o único que sempre encontra a melhor maneira de fazer as coisas.

Vassoura 3: Emocional

Você tem emoções intensas e é isso que encanta sua personalidade. Você não tem meio termo: você ama ou odeia.

Para aqueles que têm a graça de te fazer bem, você é a pessoa mais incondicional. Você sempre estará presente para eles, nunca se esquivará de suas necessidades e sempre desejará usar sua magia para ajudar. Aqueles que não têm essa sorte … Melhor nem cruzar o seu caminho!

Vassoura 4: Naturalista

Você encontra seu poder na natureza. Você é um amante dos animais e plantas, e adora passar o tempo ao ar livre.

Para você, a natureza é sua fonte de energia, e é aí que o seu feitiço funciona melhor.

Vassoura 5: Singular

Você pode virar tudo de cabeça para baixo e encontrar respostas onde parece não haver nenhuma.

Você não é uma pessoa organizada ou varejista, mas é extremamente criativo. É por isso que você resolve problemas como se fosse mágica.

Vassoura 6: Líder

Você é um líder nato. Você enfeitiça as pessoas com sua autoconfiança, seus objetivos claros e sua capacidade de seguir em frente. Às vezes você também pode se tornar um pouco manipulador.

Você sabe quem está liderando a equipe e não tem medo de assumir o comando quando necessário.

Vassoura 7: Empática

Você sempre procura ajudar os outros e resolver seus problemas. Você agrada a todos com sua habilidade de se colocar no lugar dos outros e reagir de acordo.

Vassoura 8: Flexível

Poucas pessoas sabem como você realmente é. E o seu maior poder é a sua capacidade de se adaptar às mudanças. Você é como um camaleão, que sempre sabe que cor usar em cada circunstância.

No seu caso, você evita conflitos e sempre consegue se sair bem. Não é que você não tenha suas próprias convicções ou segurança em suas ideias: simplesmente, você sabe quando é hora de expressá-las e quando não.

Vassoura 9: Lutador

Você nunca abaixa os braços. Sua magia é a da persistência, você está sempre disposto a dar um pouco mais de si mesmo.

Quando você acredita em algo, nada fará você pensar de maneira diferente; e você estará disposto a lutar por isso com todas as ferramentas necessárias.

Geralmente, esse modo de ser leva você aonde você quer estar. Raramente você não sai com o seu. Você pode parecer um pouco teimoso, mas na realidade você está muito seguro de si mesmo.

Vassoura 10: Inteligente

Seu maior poder está na sua cabeça. Você tem um pensamento profundo e soletra com sua inteligência.

Como você pensa muito, você é sensato e nunca fala mais do que o necessário. Você sabe expressar o que é justo e necessário em cada momento, e sempre tem um sábio conselho à mão.

Você gosta de aprender coisas novas o tempo todo, então você não tem problemas em viver novas experiências.

fonte; fasdapsicanalise

A “síndrome da criança rica”: uma síndrome causada pelos pais

A “Síndrome da Criança Rica”, ao contrário do que parece, não se refere aos filhos de pessoas ricas. Ela está relacionada ao fato de dar às crianças tudo o que elas pedem, sem lhes exigir um mínimo de esforço; situação que, em geral, ocorreria em famílias com alta renda econômica.

No entanto, esse é um padrão que também pode ocorrer em famílias de classe média em que os pais tentam (inconscientemente, muitas vezes) suprir suas ausências físicas e emocionais com bens materiais.

Qual é a origem do termo síndrome da criança rica?

Embora esta condição não seja reconhecida como um diagnóstico clínico pelas associações de psiquiatria no mundo, seu uso vem se estendendo desde os anos 90. A “gripe” foi o termo que começou a difundir esta condição para ser delimitada no livro O Gueto de Ouro: A Psicologia da Afluência .

Neste livro, o autor refere-se a como as crianças mimadas de famílias ricas mostram comportamento irresponsável e falta de empatia. Isso resulta como consequência direta de mimar a criança excessivamente, superprotegê-la e suprir a falta de tempo com presentes e dinheiro.

Como saber se estamos promovendo a “síndrome da criança rica” ​​em nossos filhos?

Você não precisa ter muito dinheiro para desencadear esta síndrome. De fato, casos de “riqueza” em crianças e adolescentes de classe média estão se tornando mais frequentes.

Pais que, por suas responsabilidades ou pelo esforço para se posicionarem economicamente, não dedicam tempo suficiente para criar seus filhos emocionalmente e acabam oferecendo presentes materiais para preencher essa lacuna. E isso tem suas consequências.

Um dos primeiros sinais da “síndrome da criança rica” ​​é observado quando a criança expressa o tédio com relativa frequência. Isso acontece apesar de ter uma sala cheia de brinquedos e todos os tipos de dispositivos tecnológicos da moda.

Primeiros sinais

Quando queremos que a criança se acalme ou evite acessos de raiva e damos algo material, estamos encorajando esse comportamento. Isso também ocorre quando recompensamos a criança a todo o tempo por qualquer favor feito ou apenas por serem obedientes.

Outra maneira de promovê-la é comprando presentes caros, mesmo que não seja uma ocasião especial ou adiando as despesas da família para satisfazer algum capricho da criança. Essas atitudes por parte dos pais dão origem à “síndrome da criança rica”, colocando em risco sua saúde emocional e física.

Consequências para sua saúde física e emocional

Como esta síndrome pode afetar nossos filhos

A maioria dos jovens é afetada por desenvolver baixa autoestima e perder motivação.

Eles são incapazes de tolerar frustrações, porque acreditam que merecem tudo.

Eles não enfrentam seus próprios problemas. Eles acham que papai e mamãe sempre vão resolvê-los .

Sua inconsciência os leva a ser irresponsáveis ​​e sem disciplina.

Eles manifestam altos níveis de estresse e ansiedade em face da falta de desempenho escolar.

Eles têm dificuldades em manter seus relacionamentos com seus pares em harmonia.

Eles se tornam inquietos e irritáveis ​​em questões sem importância e acabam sendo muito infelizes.

Eles geralmente acabam se envolvendo em comportamentos prejudiciais, como o uso de álcool ou drogas.

Podemos evitar isso?

É vital explicar à criança o esforço feito pelos pais para manter um estilo de vida mais confortável. Além disso, é importante deixar claro que para obter coisas, você tem que trabalhar, e às vezes muito difícil.

Eles devem entender que eles têm responsabilidades dentro da casa que devem cumprir, sem ter que ser recompensado por isso. Eles devem ser ensinados a arrumar a mesa, tirar o lixo e ajudar a separar e limpar o quarto. Essas atividades reforçarão seus valores.

Você tem que envolver a criança com a vida real. Eles devem aprender a valorizar o que têm e a cultivar o respeito pelos outros. Como pais, não devemos superprotegê-los. Pelo contrário, devemos oferecer-lhes as ferramentas que os ajudarão a enfrentar seus próprios problemas.

Às vezes, ser rigoroso com as crianças também é um ato de amor. Com isso, estaremos formando crianças com um desenvolvimento ético e emocional correto. Você também ama seu filho quando coloca limites. Eles precisam se esforçar para conseguir o que desejam .

As frustrações são também parte da aprendizagem e o confronto é fundamental. Com isso, você incentivará o desenvolvimento das capacidades emocionais e psicológicas que farão de você um adulto mais feliz.

via; contioutra

Se o seu filho é apaixonado por dinossauros, então tem uma inteligência superior à média

Todas as crianças adoram animais: há aqueles que preferem cães, aqueles que nunca se separariam de seu gato – e há aqueles que gostam de dinossauros.

É claro que esses lagartos pré-históricos sempre fascinaram crianças, mas há alguns que gostam tanto dos dinossauros que sabem tudo sobre eles: o que comiam, o seu habitat e hábitos que tinham.

Se seu filho é assim, tenha orgulho disso: é um sinal infalível de inteligência, de acordo com a ciência.

O primeiro a afirmar isso foi um estudo de 2008 sobre os interesses das crianças, que destacou como a paixão pelos dinossauros pode ajudar as crianças a desenvolver um maior conhecimento, maior atenção e capacidade de coletar e processar informações; em essência, eles permitem que as crianças aprendam melhor.

Não só; outros estudos confirmaram que crianças que amam dinossauros têm inteligência acima da média.

Geralmente são crianças entre 2 e 6 anos de idade, isto é, a idade em que elas brincam mais com a fantasia, de ambos os sexos.

Esse interesse então diminui quando a escola elementar começa, quando eles têm que se concentrar em muitos outros assuntos e ampliar suas áreas de interesse: esporte, música, arte.

Para os pais só resta a alegria com a escolha da criança, e ajudá-lo a se interessar pelo que mais estimula sua imaginação, levando-o a aprofundar seu conhecimento.

fonte; olhaquevideo

A falta de zelo por parte da mãe abre uma ferida que nunca cicatriza

Pode ser um abandono ou uma única bofetada. A dor que qualquer atitude negativa vinda da mãe causa nos filhos vai muito além da pele. Entra no coração e se aloja por lá para sempre.

“Eu quero a minha mãe” é uma expressão bem comum, mas remete a muito mais do que uma simples vontade. Ela exprime um pedido de socorro, de proteção, de amor incondicional. É quando a angústia se torna insuportável e nada nesse mundo pode aliviá-la a não ser o colo de nossa mãe. E não importa a idade que temos.

Muitas vezes a gente tranca o choro até finalmente se debulhar no abraço dela. Porque colo de Mãe cura, acalma e nos salva, porque nos remete à sensação de que nada pode nos acontecer, assim como foram os nove meses dentro de seu ventre. Protegidos, bem alimentados, seguros na calmaria do silêncio de um mundo que nos prepara para a primeira tomada de ar.

Nossa mãe é nossa primeira fonte de amor. Nascemos completamente dependentes dela. Não falamos nem andamos e, se não fosse ela a nos alimentar, jamais conseguiríamos sobreviver.

Esse mecanismo da natureza nos conecta ao amor materno de uma forma extremamente grandiosa, sublime e deixa um cordão umbilical emocional fervente por toda a vida.

Ela entende nosso choro e nos coloca para dormir, abraça forte quando sentimos dor, cuida de nós, se estamos doentes. E mesmo que o tempo nos dê maior independência, ela continua durante toda a nossa infância como o porto mais seguro do mundo. E essa responsabilidade afetiva tem um peso enorme em toda formação no adulto que a criança se transformará.

É por isso que qualquer atitude de desafeto de uma mãe dói mais que qualquer coisa nessa vida. Pode ser uma negligência, uma ausência, um desamparo, comportamentos raivosos e até seus defeitos.

Porque uma criança é incapaz de entender as limitações da sua mãe e, então, acaba acreditando que a depressão, ou qualquer outra dificuldade que a afasta sua mãe afetivamente é falta de amor. Por esta razão, ela se culpa, sente-se impotente e se desequilibra, podendo entrar em um complexo de inferioridade que vai durar por toda sua vida.

O abandono de um pai causa um buraco na alma, mas ser abandonado por uma mãe não há medida que explique tamanho desalento.

Superamos fim de relacionamentos, uma demissão e até um problema físico, mas ser deixado para trás pela nossa progenitora é uma ferida que nunca se fechará. Sejamos amados o quanto for, jamais entenderemos porque aquela mulher que nos carregou por 9 meses, nos deu a vida e estava marcada para nos zelar por todo nosso caminho, abriu mão de sua função ou nos trata de forma tão equivocada com iras, maldades e egoísmos, ensinando-nos o peso gigantesco do desafeto materno.

Por isso, não meça esforço para controlar sua raiva com seu filho, seja paciente ao máximo, cuide, zele. Compreenda-o, passe tempo com ele, valorize e proteja seu filho, porque uma mãe é a pessoa mais importante e especial que um filho pode ter na vida.

Por isso escolher ser mãe é entender essa responsabilidade de zelo. Esse cordão umbilical de amor que jamais poderá ser cortado, independentemente quaisquer condições. Sozinha, solteira, separada, viúva. Não importa, porque, para uma criança, é muito mais reconfortante estar debaixo da ponte no abraço da mãe, do que ser abandonada por ela em um castelo ou dentro da própria mansão.

Por isso, para ser a melhor mãe do mundo, só existe uma coisa que uma mulher pode fazer: deixar que seu filho aproveite seu colo enquanto seu coração materno bater.

Porque, enquanto houver vida no peito de uma mãe, sempre será tempo para amar seus filhos. Afinal, morando no céu, Deus precisava de uma substituta aqui na Terra. Escolheu as mães.

fonte; osegredo

Colocar os filhos para dormirem cedo faz bem para as crianças e para os pais, aponta estudo

Sempre foi dito que mandar as crianças para a cama cedo é importante para sua saúde, mas também para o bem-estar de seus pais. Isso acabou de ser confirmado por um estudo realizado pelo Murdoch Children’s Research Institute em Melbourne, Austrália, realizado com uma amostra de 3600 crianças nos primeiros 9 anos de vida.

Os resultados mostraram que nas famílias em que as crianças iam para a cama antes das 20h30, não somente elas eram mais felizes e saudáveis, mas também os adultos. Como é fácil entender, a razão está no fato de que, dessa forma, há mais tempo para o casal falar e passar a viver sua própria intimidade.

O papel do sono na infância

O papel do sono em termos de saúde geral é fundamental, especialmente em um período sensível, como a infância. A falta ou escassez de descanso e sono no menor tem efeitos sobre o seu desenvolvimento físico e cognitivo.

A pesquisa submeteu as mães e pais a questionários com intervalos de dois anos, ou seja, em crianças entre 4 e 5 anos, sempre o mesmo entre 6 e 7 anos de idade e novamente entre 8 e 9 anos de idade.

As informações recolhidas permitiram observar que os níveis de melatonina, o hormônio do sono e relaxamento, atingia um pico em torno das 20 horas. Outro aspecto interessante de ir dormir cedo também foi observado: os efeitos positivos na qualidade de vida de crianças eram evidentes, independentemente de quanto realmente tivessem dormido.

Deve ser enfatizado que, quanto mais cedo a criança vai para a cama mais é provável que ela durma o número de horas recomendado:

De 4 a 12 meses de 12 a 16 horas
De 1 a 2 anos de 11 a 14 horas
De 3 a 5 anos de 10 a 13 horas
De 6 a 12 anos de 9 a 12 horas
De 13 a 18 anos de 8 a 10 horas

Melhorar a qualidade do sono das crianças

Esclarecida a importância para as crianças de irem dormir cedo, aqui estão algumas dicas práticas para melhorar a qualidade do seu descanso:

Mantenha a mesma rotina o máximo possível no final do dia

Sempre mande as crianças para dormir no mesmo horário

Antes de dormir, evite as telas (TV, tablet, PC, smartphone) porque elas atrapalham o sono

Espere um pouco depois do jantar

Passe algum tempo com as crianças antes de dormir, conversando com elas sobre o dia ou lendo uma história para dormir

fonte; olhaquevideo

Mulher desiste de homens e decide casar com edredom

Edredom. Edredão. Fouchel. São nomes da mesma “pessoa”. E ela vai se casar com uma artista plástica.

Pascale Pauly Sellick diz ter cansado de homens. Assim, ela decidiu se casar com o seu amado edredom. A artista de 49 anos prometeu ser fiel à peça branca com corações.

A união será celebrada no próximo mês. Moradora de Exeter (Inglaterra), Pascale diz viver com o edredom a “relação mais íntima e confiável” que ela já teve.

“Meu edredom sempre está lá me esperando e me dá fortes abraços. Amo o meu edredom e convidei pessoas para testemunharem a minha união com o mais constante companheiro da minha vida”, disse a britânica, de acordo com reportagem do “Metro”.

“Será uma cerimônia com música, gargalhadas e diversão”, emendou a britânica, que contratou cerimonialista famosa para o evento inusitado, que ocorrerá em uma casa de festas.

A casamento será celebrado em 10 de fevereiro. O traje é livre, mas Pascale diz preferir que os convidados apareçam de pijama, camisola, baby doll.

via; extra.globo

8 características comuns de uma pessoa psicopata

O conceito surgiu no século XIX dentro da medicina legal através de um estudo, na qual, médicos pesquisaram o fato de que muitos criminosos agressivos e extremamente cruéis não apresentavam sintomas comuns de loucura.

Anos mais tarde ampliou-se o conceito de avaliação para todos os tipos de pessoas, de modo que algumas características de psicopatia podem ser identificadas em qualquer indivíduo.

Existe outro tipo de desordem denominada “sociopata”, na qual se refere a pessoas acometidas por distúrbios menos agravantes, o que difere entre as duas doenças é o nível de consciência das atitudes, discernindo o certo do errado.

Essas pessoas, aparentemente normais, nos rodeiam e muitas vezes fazem parte do nosso convívio social. Mas como identificá-los?

No artigo de hoje vamos ilustrar 8 características comuns de um psicopata, porém lembramos que somente com a ajuda de um psicólogo e um psiquiatra é possível avaliar e determinar se um individuo tem as suas faculdades mentais acometida por esse mal.

1- Não se sente culpado

O psicopata não sente remorso diante da gravidade de uma atitude reprovada pela sociedade, podemos até tentar convencer ele sobre o grau de maldade de um ato, mas a pessoa não se sensibiliza, pois o importante para ela é se realizar.

2- É manipulador

As pessoas com psicopatia simulam atitudes de agradecimento e simpatia como uma forma de manipulação do outro, mas não conseguem estreitar laços de relacionamentos, como amizade por muito tempo.

3- Gosta de fazer com que os outros se sintam culpados

A habilidade dele é conquistar a confiança para depois manipular os sentimentos do outro, para que se sintam mal diante de uma situação.

4- São egoístas

A felicidade pessoal para um psicopata está em primeiro lugar, tudo está bem e flui bem para eles, caso estejam bem, independente do sofrimento alheio.

5- Sente-se superior

Sabem de tudo, entendem de tudo e não podem ser contrariados.

6- São calculistas

Cauteloso, dissimulado, sabem atuar muito bem, tudo com a intenção de controlar os outros ou uma situação sem que sejam notados.

7- É bastante popular

De atitude amigável, são bem apessoados e ganham facilmente a atenção dos outros.

8- Não é responsável por suas ações

Essas pessoas fogem de suas responsabilidades e não tem a capacidade de assumir os seus erros.

Todos os itens acima listados são apenas características comuns com base em estudos, porém existem pessoas que não são psicopatas e possuem as mesmas características conhecidas como “vampiro emocional”.

via; dicasonline

“Abraçadora” profissional cobra cerca de R$ 250 para abraçar e dar afeto a homens carentes

Janet Trevino é uma americana de 37 anos que ganha a vida através de abraços.

Como uma “abraçadora” profissional, ela cobra cerca de R$ 250 por hora para abraçar e dar afeto para homens carentes.

Moradora de San Antonio, nos EUA, ela passa de 13 a 20 horas abraçando homens que têm entre 40 e 70 anos. Através dessa atividade, ela ganha cerca R$ 5 mil por semana, de acordo com o tabloide “Daily Mail“.

“Meus clientes costumam ser veteranos de guerra, já que moro em uma cidade militar, mas atendo todos os tipos de pessoas”, contou.

Antes de atender o cliente, Janet costuma conversar com ele por telefone para descobrir o que ele realmente precisa. “Não é como ir fazer uma massagem”, explicou. “Preciso fazê-los entenderem o que exatamente é o meu trabalho para que eu também esteja segura”.

fonte; bemmaismulher

Aos 91 anos, cirurgiã mais velha do mundo faz cerca de quatro operações por dia

Ela já se aposentou há muitos anos, mas continua trabalhando. Trata-se da médica Alla Ilyinichna Levushkina, hoje com 91 anos. Esta senhora, apaixonada por sua profissão, é médica proctologista e se tornou a cirurgiã mais velha do mundo em exercício.

A idosa, que faz cerca de quatro cirurgias por dia, trabalha em um hospital na cidade de Rayzan, próxima à capital da Rússia, e garante que nunca perdeu nenhum paciente durante procedimentos.

“Eu não tenho nenhuma vontade de me aposentar. Ser médica para mim não é uma profissão, é uma forma de vida”, afirmou a mulher em entrevista ao jornal britânico The Mirror.

Não é profissão, mas sim vocação. É assim que a cirurgiã Alla Ilyinichna Levushkina define o que faz.

Alla vive em um flat junto a uma sobrinha deficiente e oito gatos de estimação, perto do hospital onde trabalha. Em 67 anos de profissão estima ter participado de 10 mil cirurgias. “Existem pessoas que salvei há muitos anos atrás, quando ninguém mais queria fazer cirurgia nelas. Por causa disso eles continuaram a viver e hoje têm filhos e netos”, afirmou. Apesar de amar a profissão, ela queria ser geóloga na infância, e só escolheu a medicina após ler um romance.

A rotina da mulher é regrada: chega no trabalho todos os dias às 8 da manhã e começa a fazer as cirurgias pouco antes das 11h. Apesar do dia a dia cansativo, diz que não vai se aposentar e garante não ter nenhum segredo para toda a longevidade. “Eu só como de tudo, rio muito e choro muito”, brinca.

Que mulher!!

via; agrandeartedeserfeliz

Nunca aceite a esmola de ser a outra de alguém

Depois de você, outros ou outras virão e, se você se tornar oficial algum dia, conseguirá conviver com o fantasma de temer que a história não se repita com você? Valorize-se!

A gente não constrói felicidade sobre a infelicidade alheia. Entendo que seu parceiro ou parceira, ao permanecer numa relação com a pessoa “oficial” e manter um relacionamento com você, está privando essa pessoa de ter uma vida e encontrar alguém que de fato a mereça e a valorize, tirando dela o direito de ser amada com verdade e sinceridade, como todos merecemos e tenho certeza, como você também busca ter amor.Da mesma maneira, está tirando de você o mesmo direito de ter alguém que o (a) ame verdadeiramente, sem máscaras, sem meias verdades ou mentiras completas, sem esconder esse sentimento. Alguém que lhe dê uma vida de verdade, que o assuma, que o leve no jantar na casa da tia avó ou vá ao supermercado.Por outro lado, você, se permitindo estar nessa situação (e alguns ficam nela por anos), está sendo conivente com tudo isso e está incorrendo em dois erros.O primeiro, está colaborando para a infelicidade da pessoa “oficial” que, talvez, você odeie, por ser a oficial que a outra apresenta na vida dela, mas que é a pessoa mais inocente em toda essa situação.O segundo, você está aceitando essa situação degradante, deixando de se valorizar e de se enxergar, de entender que você é capaz, inteligente, e não precisa da esmola do conforto de ser opção de alguém.

Você realmente acha que alguém que ama de verdade a outra pessoa, como você acredita ser amado (a), vai estender essa situação muitas vezes por anos, levando no banho-maria dois relacionamentos sem assumir verdadeiramente nenhum?

Olhe-se no espelho! Olhe a que ponto você chegou se humilhando, expondo, inventando mentiras para si e para outros, mendigando o amor de alguém que não faz nada além de demonstrar que não merece você, tampouco a pessoa que leva com ela (ele) como sendo a oficial.Depois de você, outros ou outras virão e, se você se tornar oficial algum dia, conseguirá conviver com o fantasma de temer que a história não se repita com você?VALORIZE-SE!Todo mundo merece um amor de verdade e, quando a gente sofre demais, acredita que esse amor não existe. Mas existe e só não chegou até você porque você está mantendo as portas e janelas fechadas, deixando seus anos e sua vida passarem, preso (a) a um relacionamento baseado em mentiras, dor e sofrimento.

Você se apega aos momentos bons e bonitos, que são quais, exatamente? Que momentos vocês compartilham que lhe dão uma ideia de relacionamento verdadeiro, sincero e duradouro?Os compartilhados sob os lençóis, não valem. Reflita na sua rotina, no seu dia a dia, naquelas pequenas coisas que constroem um dia a dia gostoso de se sentir o amor.O todo dia, o jantar, a roupa na lavanderia, o quintal para limpar, o cachorro para alimentar, o dormir de conchinha TODO DIA, fazer as pazes, o café da manhã, levar as crianças na escola, agendar o dentista…

Não é com você que essa pessoa está dividindo a vida. E você merece alguém que queira uma vida com você! Pense nisso…

Ninguém constrói felicidade em cima da infelicidade alheia. Enquanto você é instrumento para impedir a felicidade de outras pessoas, acredito, não poderá encontrar a sua. Não quando impede a felicidade de outras pessoas propositalmente.Seja feliz… com alguém que é verdadeiramente feliz ao seu lado e demonstre todos os dias que o (a) merece e quer tê-lo (a) por perto.

via; provocacoesfilosoficas

A solidão mata tanto quanto cigarro, aponta pesquisa

Não dá para viver sozinho. Faz tão mal à saúde quanto ser obeso ou fumar quase um maço de cigarro diariamente. Solidão é mortal, segundo a ciência.

Pesquisadores da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, avaliaram dados sobre estilo de vida e saúde de mais de três milhões de pessoas, todas com menos de 65 anos.

E descobriram que viver isolado do mundo, sem contato com ninguém, aumenta em até 32% o risco de morrer prematuramente.

É tão perigoso quanto fumar 15 cigarros por dia ou ser alcóolatra ou obeso.

É que manter contato com outras pessoas diminui o nível de cortisol, hormônio ligado ao estresse, no organismo. E menos estresse significa riscos menores de doenças cardíacas e derrame.

“Precisamos começar a levar mais a sério nossos relacionamentos sociais. Os efeitos deles são comparados à obesidade, algo que consideramos muito sério à saúde”, explica Julianne Holt-Lunstand, uma das autoras da pesquisa.

Pois é, leve a sério seus amigos – você deve muito a eles (e eles a você). Aproveite a deixa e marque logo aquele café.

fonte; coruja-prof

O animal que você vê primeiro revela muito sobre sua personalidade

Nosso subconsciente é incrível e pode dizer muito sobre nossa personalidade, mais do que provavelmente pensamos. Especialistas dizem que o subconsciente é uma unidade de armazenamento, que contém todos os seus gostos e desgostos, crenças e medos, bem como memórias e habilidades, mesmo se você não se lembra deles.

O interessante é que ele se conecta diretamente com seu comportamento consciente, e é por isso que, quando seus olhos veem uma imagem completa, seu cérebro só escolhe alguns detalhes relativos à sua personalidade e às suas experiências de vida.

O Incrível.club gosta de diferentes testes de personalidade e pesquisas psicológicas. Este é um teste divertido, por isso não o leve muito a sério. A menos, é claro, que tenhamos acertado na mosca.

Que animal você viu primeiro?

A zebra

Se o primeiro animal que você viu foi a zebra, as palavras engraçadas, influentes e carismáticas dizem tudo a seu respeito. Você é muito ativo e espontâneo e tem uma personalidade muito contagiante, é por isso que as pessoas o seguem. Você é uma companhia maravilhosa para sair. Suas habilidades de comunicação são imbatíveis e podem fazer de você um ótimo vendedor.

Mas se aborrece se tem que fazer a mesma coisa várias vezes, e sempre precisa de algo novo em sua vida. Podem ser novos eventos ou novas pessoas, desde que cada dia traga algo diferente.

O gato

Se viu o gato em primeiro lugar, você é uma pessoa que não gosta muito de falar, então muitos podem pensar que você é tímido. A verdadeira razão é que prefere olhar à distância e analisar o que vê, em vez de estar no meio da ação.

Honestamente, não se importa com o que as pessoas à sua volta pensam a seu respeito e prefere que os outros façam o mesmo. Você faz suas próprias regras e as mantém, é independente e autossuficiente.

O pato

Se o animal que viu foi o pato, você é 100% otimista e não há nada que possa fazê-lo se sentir desanimado. Para você, o copo não está meio cheio ou meio vazio, mas sempre transbordando.

Você vive o momento e gosta de experimentar a vida ao máximo. Gosta de explorar novos lugares, aprender novas habilidades e sua curiosidade não tem limites.

O coala

Se o primeiro animal que viu foi o coala, você é uma pessoa muito calma e gosta de viver cada dia no seu próprio ritmo, não importa o resto. É uma pessoa muito gentil, sensível, carinhosa e atenciosa, além de seus amigos saberem que está literalmente a um telefonema e que sempre podem contar com você.

Geralmente, não gosta de grandes festas. Prefere passar tranquilamente seu tempo livre vendo um bom filme ou lendo um bom livro de forma descontraída. Você é altruísta e gosta de ajudar os outros sem esperar nada em troca.

O elefante

Se foi o elefante o primeiro animal, você é muito genuíno e se importa profundamente com tudo o que o rodeia. É leal, responsável e sua família, assim como seus amigos, sempre podem confiar em você. Se precisarem de ajuda, sabem exatamente que podem contar com você.

E, de uma forma ou de outra, sempre encontra uma solução para cada problema. Você não é apenas um bom ouvinte, é um solucionador de problemas incrível e insuperável.

Sua família e seus amigos são sempre sua prioridade, e você gosta quando as pessoas ao seu redor estão bem.

O urso

Se o primeiro a ser visto foi o urso, você é muito lógico, conservador e tradicional, tem valores muito altos e constrói sua vida de acordo com eles. É uma pessoa calma e observadora, não gosta de companhias barulhentas ou lugares lotados; procura sempre a harmonia. Você é muito sensível, reflexivo e diplomático. Acredita nas regras e regulamentos e, além disso, as decisões espontâneas não são o seu estilo.

Você é um trabalhador confiável, muito dedicado e perfeccionista. Leva a frase “prazo final” muito a sério e espera que outros também o façam.

A girafa

Se a girafa foi o primeiro animal que viu, você é uma borboleta social e um animador nato. É muito flexível, pode se adaptar a qualquer turma e se torna o centro de grupos num piscar de olhos. Você adora conversar e pode realmente conversar com qualquer um. Também é muito despreocupado, mas sem perder a realidade, mantendo os pés no chão.

Embora pareça que nada pode deixá-lo triste, você é muito sensível. É leal aos seus amigos e espera o mesmo deles. Além disso, não gosta de rotina e é muito provável que mude de emprego ou passatempo com frequência.

O porco

Se o primeiro animal que viu foi o porco, isso significa que você é muito independente e trabalha melhor quando está sozinho. Tem uma mente muito perspicaz e passa por situações tão rapidamente que tem preguiça de explicar aos outros, porque acha que é uma perda de tempo.

Sua atenção aos pequenos detalhes, sua memória brilhante e suas excepcionais habilidades analíticas podem torná-lo muito eficaz em qualquer coisa relacionada a qualquer tipo de pesquisa. Embora não possa ser chamado de extrovertido, você se dá muito bem com as pessoas.

O coelho

Se o coelho foi o primeiro que viu, isso pode significar que você é muito criativo, cheio de energia e contagiosamente feliz. Sempre traz risadas e alegria para todos, em todos os lugares, e isso leva muitas pessoas a procurarem sua amizade. Seu incrível senso de humor instantaneamente faz de você o centro das atenções, não importa se está no trabalho ou numa festa.

Algumas pessoas podem achá-lo um pouco superficial, mas isso está muito longe da realidade.

Você é muito atencioso, simpático e gosta de ver as pessoas rindo. Ainda assim, às vezes precisa de uma pausa.

O leão

Se o primeiro animal que viu foi o leão, você é um líder nato. Naturalmente, sabe como convencer as pessoas a segui-lo, a fim de alcançar um objetivo comum, mas às vezes pode ter uma tendência a ser muito dominante, e seu poder pode ser um pouco esmagador.

Não tem medo de desafios. Na verdade, até gosta deles, porque lhe dão a oportunidade de mostrar o que você pode fazer e se sentir um vencedor. É muito competitivo e tem habilidades estratégicas extraordinárias.

A coruja

Se viu a coruja como o primeiro animal, você é uma pessoa muito analítica e profunda, e prefere trabalhar por conta própria. Gosta de ter um tempo tranquilo e não se sente confortável em situações sociais. Gosta de ter tudo bem organizado e em ordem, qualquer situação caótica o irrita. Você é um perfeccionista e às vezes espera o mesmo dos outros.

Considera que somos todos perfeitos em nossa própria imperfeição. Embora você não seja particularmente social, as pessoas realmente apreciam sua companhia por causa de sua incrível inteligência e seu grande senso de humor.

Qual animal foi o primeiro que você escolheu? Conte pra gente nos comentários e não se esqueça de compartilhar este post com seus amigos.

fonte; incrivel

11 hábitos ​​inacreditáveis de pessoas com depressão oculta

Há uma diferença entre ficar triste e ser uma pessoa clinicamente deprimida.

Depressão é a sensação constante de estar entorpecido. Você acorda de manhã só para voltar para a cama novamente, é uma sensação constante de estar cansado.

Estamos presos em uma geração realmente superficial, onde postamos uma foto no Instagram todos os dias, mas não falamos com nossos amigos e parentes por semanas, sob a desculpa de “estar ocupado”. Com o tempo, as diferenças entre as pessoas aumentam.

Existem milhões de artigos e citações em todos os fóruns de mídia social que falam sobre depressão, onde quase toda pessoa deprimida é pintada com a cor preta e relacionada a uma música de Lana Del Ray. Mas hoje vamos quebrar a imagem estereotipada que criamos para a depressão.

Hoje nós trazemos para você 11 hábitos inacreditáveis ​​de pessoas que sofrem de depressão.

1-Eles são seres talentosos e expressivos.

Eu não estou dizendo que a tristeza te faz talentoso. Tudo o que estou dizendo é que as pessoas deprimidas são muito expressivas quando recebem uma oportunidade e liberdade para se expressar totalmente em um campo particular.

O mundo foi abençoado com algumas das mais belas jóias como Jim Carrey, Robin Williams e Bill Hicks. E parte meu coração dizer que todos eram soldados que lutavam contra a depressão. Talvez isso apenas os ajude a sentir as coisas mais profundamente e é exatamente isso que eles retratam em seus trabalhos.

2- Sua vida é uma luta constante contra pensamentos indesejados

Suas mentes são um lugar bagunçado. Eles estão constantemente nadando entre uma poça de pensamentos e isso simplesmente não para. Não importa o que eles façam.

3- Eles têm um mecanismo de defesa alto.

Eles têm paredes realmente altas construídas para si mesmos, o que impede que alguém chegue até eles. Pessoas com depressão podem encobrir qualquer coisa. Eles são excelentes para esconder emoções.

4- Eles têm um senso de propósito.

Eles questionam tudo e fazem tudo em seu controle para buscar respostas. Isso geralmente leva à ansiedade, mas eles sentem a necessidade de saber.

5- Eles conseguem usar máscaras para esconder suas emoções

Eles dominaram a camuflagem social por toda a vida. Ser cauteloso é como sua ocupação e a única maneira de evitar riscos é se esconder sob máscaras impenetráveis; fachadas de felicidade e sorrisos. Você nem vai saber há anos que uma pessoa que conhece muito bem estava deprimida. Eles não baixariam a guarda facilmente.

6- Eles clamam por ajuda secretamente.

Todos nós precisamos de um ombro para chorar de vez em quando. Mas para as pessoas deprimidas, seus pedidos de ajuda são muito silenciosos. Eles nunca pedirão ajuda, mas são eles que mais precisam.

7- Eles não têm horário definido para dormir.

Eles têm um padrão de sono muito incomum. Às vezes eles ficam na cama todos os dias. E às vezes eles passam semanas sem dormir.

8- Eles têm problemas de abandono.

Eles nunca confiam em alguém completamente quando alguém lhes diz que eles estão aqui para ficar. Eles são emocionalmente muito inseguros.

9- Eles são suas próprias armaduras

Eles resolvem seus próprios problemas sem pedir ajuda a ninguém. Eles têm suas próprias armaduras.

10- Eles têm hábitos alimentares estranhos.

Eles podem passar um dia inteiro sem comer, mas às vezes não são vistos sem comida. Dizem que suas emoções afetam seus hábitos alimentares.

11- Eles estão sempre prontos para o pior.

Eles estão preparados para tudo. Mas isso não significa que dói menos.

fonte; tudopratico

Polícia procura voluntários para ficarem bêbados em treinamento

Objetivo é ensinar policiais como reagir diante de cidadãos embriagados.

Um departamento de polícia nos EUA está à procura de três voluntários que se disponham a ficar embriagados para um treinamento.

A polícia de Kutztown, na Pensilvânia, explicou que procura voluntários para beberem e interagirem com policiais para que eles saibam como se comportar diante de cidadãos embriagados.

Os voluntários devem estar disponíveis entre 14h30 e 19.

O trabalho não será remunerado, mas todo o álcool consumido será gratuito.

Os voluntários devem ter entre 25 e 40 anos, devem ter ficha limpa na polícia e “disposição para beber até ficar bêbados”.

Eles também precisam providenciar um amigo que os levem para casa em segurança depois do porre.



“Descubra