O enfermeiro Paolo Miranda está trabalhando em meio ao caos do coronavírus. O profissional da saúde também é fotógrafo e decidiu fazer imagens do desespero dele e de outros colegas, que não conseguem salvar todos os pacientes para o coronavírus. No país, até esta sexta-feira, 20 de março, eram quatro mil mortes. 

“Todo mundo está nos chamando de heróis, mas eu não me sinto como um’, disse o enfermeiro fotógrafo à uma reportagem da BBC. Ele garante ainda que é “muito triste morrer sozinho’ e que é isso o que tem ocorrido com os pacientes que estão com o coronavírus. Isso porque familiares não podem visitar as vítimas da Covid-19, evitando assim que a doença seja transmitida para mais pessoas.

O vírus é realmente muito transmissível. Aqui no Brasil já são mais de 900 casos confirmados da doença, além de onze mortes.

Somos profissionais, mas estamos ficando exaustos. Hoje, sentimos que estamos nas trincheiras – e todos estão com medo”, disse o enfermeiro, cuja uma das muitas fotos marcantes pode ser vista abaixo.

Na imagem, Paolo faz uma selfie dele mesmo trabalhando em meio ao caos.

A Itália já tem quase 50 mil casos confirmados da doença. Por lá, a população é bastante idosa, quando comparada a de outros países, o que explica o grande número de letalidade. Muitos médicos e profissionais de saúde também contraíram o novo coronavírus.

Alguns deles já até morreram da doença, mas nem isso afasta a vontade de tentar evitar que mais e mais pessoas acabem morrendo pelo problema, que afeta o planeta inteiro. 

Veja também:  Ritmo de contágio do coronavírus no Brasil está acelerando, apontam pesquisas