InícioComportamentoMeu namorado teve que escolher entre sua mãe ou eu, uma escolha...

Meu namorado teve que escolher entre sua mãe ou eu, uma escolha complicada

Publicidade

Em 2014, conheci um cara. Um cara perfeito, mas acabou tendo que escolher entre eu e a mãe.

Ele é charmoso, engraçado, doce, infinitamente paciente, ambicioso, bonito e feliz. Ele é o cara mais amigável que você já encontrou e se jogaria nos trilhos do trem pelas pessoas que ama.

Eu sabia que tive sorte quando o conheci no Tinder naquele verão (sim, coisas boas podem sair do aplicativo!). Estamos juntos desde então.

A única coisa imperfeita relacionada a ele? A mãe dele.

Meu namorado teve que escolher entre mãe e namorada

Ela é psiquiatra e muçulmana estrita e me odeia. Tanto é verdade que nunca a conheci, nem tenho permissão para entrar em sua propriedade (o que na verdade não é problema para mim – estou bem em ficar longe dela, acredite ou não).

Eu sabia no que estava me metendo quando nos conhecemos, depois que meu namorado me explicou que sua mãe havia se tornado uma fanática religiosa desde que seu pai morreu, cerca de 15 anos antes de nos conhecermos.

Sua mãe é do Paquistão e seu pai biológico era da Índia. Eles tiveram um casamento arranjado depois de migrar para os EUA, onde meu namorado nasceu.

Tendo crescido como americano, houve algumas diferenças culturais sérias entre ele e sua mãe. Meu namorado ainda se considera espiritual, mas o Islã é bastante radical e pode ser um tanto difícil de seguir regra por regra.

Recomendamos:  Colocar os pés em vinagre é um tratamento simples e barato

Por exemplo, namorar é proibido – daí porque existem tantos casamentos arranjados na fé. Você pode imaginar encontrar alguém para alguns almoços supervisionados e então concordar em se ligar a essa pessoa para o resto da vida? (Meu namorado descreve isso da maneira geral como os casamentos arranjados funcionam.)

Eu, pessoalmente, não consigo nem entender isso.

Quando ele disse à mãe que conheceu uma garota e que o relacionamento era sério, ela pirou. Também não sou qualquer garota – sou uma não muçulmana, branca, nascida e criada como católica. Basicamente, sou o pesadelo da mãe dele.

Lembro-me de me sentir completamente culpada por sua reação. Até tentei terminar com ele alguns meses depois, porque achava que as diferenças entre nossas origens eram grandes demais.

Além disso, um fator na minha tentativa de separação foi o fato de que sua mãe literalmente disse a ele que eu não tinha permissão para buscá-lo depois de sua cirurgia e não podia dirigir. (Tive que esperar um pouco mais adiante.)

Continue a ler após a publicidade.

Falando da cirurgia, a mãe do meu namorado orou sobre sua cama de hospital, porque ela acha que ele está indo para o inferno. Para o inferno, por minha causa!

Era demais para eu lidar com isso, e achei que a melhor coisa para nós era nos separarmos. Meu namorado acabou me convencendo a não terminar e me acalmou. Ele me disse que superaríamos a lacuna, que sua mãe não tinha nada a ver com o que ele sentia por mim e que, quando chegasse a hora, ele me escolheria em vez dela.

Recomendamos:  9 sinais que o corpo dá quando você está grávida

Essa última parte me deixou com mais culpa, mas eu o amava demais para deixá-lo ir, simplesmente.

E acabou caindo nessa escolha crucial: eu. O resultado é uma espécie de afastamento de sua mãe.

Vivemos longe de nossas cidades natais, porque arranjamos empregos na Costa Oeste. Quando voltamos para casa, meu namorado e sua mãe mal se falam. A única razão pela qual ele vai ficar na casa da mãe é que ele ainda é próximo do padrasto e da irmã.

Não consigo imaginar como essa casa é estranha.

A boa notícia é que meus pais são muito tolerantes e aprovam meu namorado de todo o coração. Ele é sempre bem-vindo para ficar em nossa casa sempre que estamos na cidade (o que ele faz muitas vezes), e ele conheceu meus parentes.

É impossível não amar meu namorado. Então, de certa forma, me sinto mal por sua mãe. Ela definitivamente está perdendo.

No geral, tento ser compreensiva. Eu costumava ficar bastante irritada devido ao fato de ela nem mesmo me dar uma chance. Mas passei a aceitar que é assim que as coisas são, e suas crenças nunca vão mudar.

Assim como tenho meus próprios valores religiosos, devo aceitar os dela pelo que são.

Honestamente, poderia ser pior. Ela poderia ser uma daquelas mães malucas e super protetoras que não conseguem manter as mãos longe das nossas vidas. Muito pelo contrário, ela meio que deixou o filho flutuar como um balão em um dia frio e sem nuvens.

Recomendamos:  Use vinagre na máquina de lavar roupa para eliminar manchas e dar vida às cores

Um dia, ela pode correr atrás dele, percebendo o que está deixando ir – mas não vou contar com isso.

Publicidade

Via: Yourtango

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais vistos