InícioComportamentoSe você tem um mau chefe siga estas 7 dicas para resolver...

Se você tem um mau chefe siga estas 7 dicas para resolver o problema

Publicidade

Quando digo às pessoas o que faço para viver, elas costumam responder: “Meu chefe precisa da sua ajuda – eles são completamente psicopatas”.

Na realidade, isso provavelmente não é verdade: a psicopatia na população em geral é de cerca de 1 em 100. As chances de que seu gerente de sistemas de rede no data center seja um psicopata são bastante improváveis. Mas se você está trabalhando para alguém que se comporta de maneira agressiva, combativa ou tóxica, o impacto sobre você pode ser devastador.

Então, o que você pode fazer sobre isso? Aqui estão algumas sugestões que podem ajudá-lo a lidar com um chefe mau.

1) Tome a decisão de ficar ou partir

O primeiro passo para lidar com um chefe tóxico é tomar uma decisão realista sobre ficar ou partir. Se você se sentir preso, avalie de forma realista como a situação está afetando você emocionalmente e mentalmente. Se você decidir ficar, é importante desenvolver alguns mecanismos de enfrentamento para limitar o efeito do comportamento deles em seu bem-estar mental.

2) Faça o trabalho: não seja um alvo

Se você decidir ficar, evite ser um alvo – ou, por extensão, uma vítima. Você pode pensar que isso significa manter a cabeça baixa e evitar problemas (o que pode ser necessário), mas também pode significar exatamente o oposto.

Faça o seu trabalho – e faça-o bem. Considere ir o mais longe que puder para ajudar seu chefe a ter sucesso (mas isso não significa que você tenha que engoli-lo). Isso o tornará menos um alvo, e outros notarão seu profissionalismo, apesar da liderança pobre – e acredite em mim, você não será o único a notar isso.

Sim, você pode ajudar seu chefe a parecer melhor aos olhos de seus superiores, e talvez eles até sejam promovidos como resultado. Mas se eles forem promovidos para longe de você, isso pode não ser tão ruim.

Recomendamos:  5 coisas que anulam o efeito da pílula anticoncepcional

3) Não se deixe levar

Pessoas tóxicas adoram puxar você para o drama delas. Não caia nessa.

Fique a uma distância emocional segura deles. Seja educado, honesto e claro.

Manter uma distância emocional segura significa que você está se isolando deles, não permitindo que seus comportamentos ou ações negativas afetem você negativamente enquanto você continua a trabalhar de maneira profissional e funcional.

Eles podem achar isso frustrante no início, mas, ao manter as coisas “estritamente profissionais”, isso os deixa com pouco espaço de manobra e irritá-los.

Esforce-se para tratá-los como apenas mais um aspecto do seu local de trabalho – não pior do que a impressora que sempre encrava ou o café horrível da máquina de venda automática.

4) Não faça fofoca

Para ajudar a manter sua sanidade mental intacta, distancie-se da fonte. Isso significa ver a pessoa tóxica como separada e distinta de você.

Você pode não gostar ou respeitá-los, mas não os menospreze. Falar positivamente dos outros – ou pelo menos resistir à tentação de falar negativamente – é uma forte demonstração de inteligência emocional. Se você precisar desabafar, faça-o fora do local de trabalho.

Se seus colegas também estão sendo afetados negativamente, você pode dar apoio oferecendo um ouvido compreensivo, mas certifique-se de que nenhuma discussão se transforme em negatividade ou ataques pessoais.

Se você acha que existe um caso legítimo de intimidação ou assédio moral, considere envolver o RH … o que nos leva ao meu próximo ponto.

5) Mantenha registros detalhados

Se você for alvo de comportamento impróprio ou abusivo, mantenha registros detalhados e precisos – e não embeleze.

Pode chegar um ponto em que você é solicitado a corroborar uma reclamação – sua ou de outra pessoa.

De qualquer forma, sua capacidade de fazer referências concretas e detalhadas às suas experiências pessoais apoiará significativamente o seu caso.

Referências vagas, anedotas infundadas, boatos ou opiniões de terceiros pouco contribuem para levar adiante uma reclamação.

A comprovação de um padrão de comportamento tóxico por meio de documentação verificável fortalecerá seu caso. Sem registros detalhados e precisos, é improvável que você vá muito longe.

6) Não atrapalhe sua carreira

A última coisa que você deseja fazer, ou permitir que seja feito a você, é ter sua carreira descarrilada. Isso significa fazer o seu trabalho da melhor maneira possível, e não dar ao líder tóxico os meios ou motivos para começar a fazer de você um alvo.

Isso pode significar que você tem que morder a língua. Também pode significar que você tem que fazer um trabalho – ou refazer o trabalho – que você acha que não precisa ser feito.

O segredo aqui é basicamente manter a cabeça baixa, ficar longe de problemas e esperar que a situação passe.

Já tive pessoas que me criticaram nesse ponto, dizendo que as pessoas deveriam ser capazes de falar abertamente e contra o mau tratamento por parte de seu gerente imediato.

Eu concordo totalmente com isso, e muitas vezes incentivo as pessoas a fazerem isso quando têm um caso forte e válido.

Mas falar contra algo como padrões subjetivos de trabalho ou o “estilo” de liderança de um gerente são casos difíceis de fazer, e as ações tomadas contra o gerente disfuncional são muitas vezes menores ou inexistentes.

Recomendamos:  Como cada signo reage ao fim de uma relação

Eu vi o funcionário sair do lado perdedor dessa situação e acabar como persona non grata como resultado. No pior dos casos, vi promoções bloqueadas e oportunidades educacionais negadas ou retiradas.

Tenha uma visão de longo prazo aqui. Conforme discutido no ponto nº 1, você deve tomar uma decisão de ficar / ir por conta própria e, se decidir ficar, talvez tenha de aturar algumas situações questionáveis.

7) Lembre-se, não é para sempre

Para muitos líderes tóxicos, a atração de mais poder, prestígio e controle significa que eles mudam de posição com frequência, portanto, talvez você não precise lidar com a toxicidade por muito tempo.

Enquanto você os espera, concentre-se em desenvolver suas habilidades e sua rede de contatos para que possa encontrar uma nova posição, se necessário.

Uma observação final: você não está sozinho se está se perguntando por que as organizações toleram pessoas tóxicas em seus cargos de liderança.

O problema é que esses tipos de líderes disfuncionais costumam ser muito hábeis em projetar uma imagem de sucesso para cima na organização.

Ele pode ser versado em manobras políticas, encobrir ou culpar os outros por erros do passado e manipular as emoções das pessoas.

Durante o processo de contratação, um candidato charmoso e envolvente pode facilmente enganar o gerente de contratação menos experiente.

No momento em que estão em segurança na organização e após o período de experiência, geralmente é tarde demais para fazer qualquer coisa a respeito de seu comportamento.

Espero que você nunca precise trabalhar para um gerente como este, mas se o fizer, espero que essas etapas ajudem.

Publicidade

Via: The Enterprisers Project

- Publicidade -

Mais vistos